Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Patrocínio condiciona Benfica do Lubango

GUD?NCIO HAMELAY no Lubango - 05 de Março, 2017

O Benfica Petróleos do Lubango ao Girabola Zap, está condicionado na definição de um patrocinador que permite um clube estar na primeira divisão,

Fotografia: José Cola

Jacks da Conceição reconheceu que normalmente a modalidade rainha é o futebol. Por isso, indicou, constitui intenção e desejo da agremiação ter a modalidade de futebol na alta-roda nacional nos próximos anos.

“Mas seria imprudente de minha parte dizer que estaríamos com a modalidade de futebol na primeira divisão em 2018, 2019 ou 2020 porque a direcção do Benfica actual quando tomou posse, o clube nem se quer tinha um campo de futebol e autocarro. Outrossim, neste preciso momento que falamos para o público e sócios, não temos definido um patrocinador”, desabafou.
Explicou que o Benfica está desde 2015 que não recebe nem se quer um tostão do seu patrocinador a Sonangol Pesquisa e Produção.

 “Por isso, não nos revemos em condições de poder programar o regresso da equipa ou modalidade de futebol na alta-roda desportiva. Nesta realidade, seria impensável. Daí, traçamos 10 tarefas prementes a serem realizadas que a médio prazo com a presença de patrocínios acredito que em dois anos podemos resolver estas 10 tarefas que só assim na nossa óptica podíamos começar a pensar voltar na primeira divisão. No entanto, não queria lançar datas para não criar falsas expectativas”, afirmou.

De acordo com Jacks da Conceição, a direcção do Benfica Petróleos do Lubango, não quer ter uma equipa no Campeonato Nacional de Futebol da Primeira Divisão como tem sido hábito passear. “Gostaríamos ir a primeira divisão para permanecer uns bons anos para nunca sair de lá. Este é o meu diapasão e em todos os clubes onde eu passei sempre primei nisso no futebol em particular. Nunca ir a primeira divisão para ficar nove ou 10 meses. Então, nós não queremos fazer isso”, sublinhou.

Esclareceu que por este facto é que estão a apelar e ver que das 10 tarefas traçadas pela direcção, a primeira é identificar ou retomar o patrocínio.

Acrescentou que “mesmo que tenhamos esse patrocínio da Sonangol que fique bem claro, não é um patrocínio que permite um clube estar na primeira divisão. Por isso, o Benfica teve sempre a crise de soube e desce. Não é verdade quando as pessoas dizem que a Sonangol patrocinou e podíamos estar na primeira divisão. Não é verdade”, lembrou.

Aclarou que hoje em dia não se faz Girabola com um milhão de dólares. Por essa razão, fundamentou Jacks da Conceição, todos sabem da realidade do clube. “E o Benfica do Lubango é o que minimamente vinha recebendo da Sonangol”, revelou.

Jacks da Conceição disse que sempre defendeu que um milhão de dólares não era valor suficiente para estar no campeonato nacional de futebol da primeira divisão para manter um clube como o Benfica com uma equipa de futebol competitiva no Girabola.