Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Pesadelo nas hostes diamantferas

Armando Sapalo, Dundo - 24 de Outubro, 2019

Formao de Paulo Torres volta a baquear em casa e o desespero comea a tomar conta do plantel

Fotografia: Benjamin Cndido (Lunda-Norte) | Edies Novembro | Benguela

O Sagrada Esperança da Lunda-Norte continua a não brilhar no campeonato nacional esta época. Ontem, consentiu mais um empate em casa, diante do Progresso do Sambizanga e o verde da esperança ainda não mora no Dundo.
Com este resultado, os diamantíferos somaram o terceiro empate no computo geral e o segundo consecutivo, adicionados com quatro derrotas em nove jogos disputados no Girabola Zap 2019/2020, números que inspiram cuidados, já que deixa a equipa numa posição complicada em termos de classificação e que em nada dignifica o bom nome do clube. A primeira parte do desafio teve um início bastante equilibrado, em que as duas formações procuravam atingir a baliza contrária, mas com muito contacto físico entre os jogadores. Foram os donos da casa a protagonizarem a primeira jogada ofensiva que  causou perigo, através de um remate colocado de Jiresse, aos 4'.
Dois  minutos mais tarde, os comandados de Paulo Torres voltaram à  carga e chegaram ao golo por intermédio do atacante congolês democrático, que aproveitou a desatenção e falta de comunicação dos defesas do Progresso do Sambizanga, para fazer um "chapéu", que não deu hipótese ao guarda-redes Nelson.
Mesmo a perder, a equipa forasteira não facilitou a vida aos anfitriões, com uma reacção positiva. E numa excelente acção ofensiva aos dez minutos, após receber uma bela assistência de Paizinho, o avançado Moco obrigou o guarda-redes J.B Missenga à uma intervenção apertada, que permitiu evitar o golo.
Os sambilas melhoraram a qualidade do jogo, principalmente nas transições ofensivas, e aos 26 minutos chegaram ao golo da igualdade por intermédio do Moco, que num remate de cabeça conseguiu tirar proveito à cobrança de um pontapé de canto.
Nos primeiros minutos do reatamento, os diamantíferos entraram mais fortes e determinados com jogadas rápidas a partir do meio campo e nas duas alas, mas sem a eficácia que se esperava.
Ávidos em chegarem ao segundo golo, os lundas levaram os sambilas a um terrível sufoco. Aos 80, 84 e 87\' o médio Gaspar lançado em campo por Paulo Torres, beneficiou de uma das melhores oportunidades no jogo, mas faltou-lhe alguma sorte. O último dos três remates feitos pelo Gaspar bateu com violência no travessão da baliza do Progresso do Sambizanga.
Os visitantes baixaram consideravelmente de rendimento e praticamente o domínio pertencia aos donos da casa. O Sagrada Esperança deve queixar-se de si próprio, já que foi bastante perdulário nos minutos derradeiros da partida, ao desperdiçar várias oportunidades do golo que podiam garantir os três pontos.

Declarações
Paulo Torres Sagrada


“Tivemos as melhores situações de golo”-“É um resultado que não queríamos. Fomos demasiados passivos, pois estivemos em vantagem e com o jogo controlado, mas sofremos aquele golo numa bola parada, em que devíamos ter atenção. Tudo fizemos para inverter o resultado; tivemos as melhores situações de golo, mas infelizmente não marcamos”.

Kito Ribeiro Progresso

“Conseguimos um precioso ponto fora de casa”-“Foi um empate conseguido, pois mostramos muita qualidade na primeira parte, mas na segunda o Sagrada empurrou a nossa equipa para o nosso meio campo. Ainda assim, conseguimos um precioso ponto fora de casa. Vamos tentar melhorar, para sairmos da situação em que nos encontramos”.