Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Petro acerta calendrio para inverter tendncia negativa

Betumeleano Ferro - 04 de Março, 2019

Deslocao ao reduto do lanterna vermelha d chance de vitria ao tricolor

Fotografia: Santos Pedro| Edies Novembro

A aparente maldição do Petro de Luanda no tocante ao acerto de calendário,  vai ser outra vez posta à prova na quarta-feira dia 6 do corrente, a partir das 15h00, no Estádio dos Eucaliptos, no Bié, no desafio com o Cuando Cubango FC, para a conclusão da 17ª jornada do Girabola Zap 2018/2019.
Os tricolores nem sempre lidam bem com a situação, quando jogam com o resultado do seu principal rival, 1º de Agosto, todavia, um deslize contra o último classificado, é capaz de ser a gota para transbordar o copo de insatisfação, que realmente já está nas mãos dos adeptos.
Os tricolores estão sob obrigação de conquistar os três pontos,  como que se guardaram para este momento, agora que chegou a hora do jogo, para dissiparem todas as dúvidas quanto à real competência do eterno candidato, que nos jogos de acerto ao calendário, às vezes, costuma desperdiçar pontos importantes.
As razões que impediram a realização do jogo, na semana passada, são bem conhecidas, ainda assim, há poucos motivos para acreditar que o curto intervalo entre o jogo com o Zamalek e este com o Cuando Cubango FC , vai resultar em frescura física. Como é evidente, os tricolores vão ressentir-se do duplo compromisso semanal, mas o importante, é que não se reflicta nas pernas, porque mesmo que depois sirva de desculpa para o insucesso, de modo algum devolve os pontos perdidos.
O Petro de Luanda não sabe o que é carregar a lanterna vermelha, ainda assim, é sempre um condenado na questão do título. É, aqui, onde bate o ponto. Assim, como o Cuando Cubango, o Petro também tem de fazer pela vida para chegar aos objectivos traçados no início da temporada, neste momento, a equipa está envolvida na perseguição ao líder, por isso, está proibida de falhar.
O calendário da Taça da Confederação dá a falsa sensação de estar perante mais um campeonato, até certo ponto,  força os competidores a desviar o foco quase todas as semanas. É isto, o que vai acontecer aos tricolores na quarta-feira, mas há sempre um lado bom, a fasquia permanece ao alto, muda a prova, é verdade, mas permanece a costumeira obrigação de somar três pontos.
A revolta, que se vive no seio do Cuando Cubango FC, subiu de tom no início da segunda volta, a apertada derrota diante do Kabuscorp, por 3-2, é a melhor prova de que o tudo ou nada, agora é que vai mover a lanterna vermelha. Ainda bem, que é assim, porque braços cruzados à espera que se consuma a despromoção, é tudo menos brio profissional, saber que Albano César e pupilos querem tudo, menos cumprir calendário,  que funciona como um toque de trombeta, desperta os seus adversários.
O Petro de Luanda tem qualidade suficiente para \"passear\" nos Eucaliptos, contudo, tem de estar muito atento às eventuais surpresas que estão preparadas pelo Cuando Cubango FC. A bem da verdade, a equipa caseira sabe, que nem que imite a vaca, vai inchar o suficiente para ser do mesmo tamanho do adversário, então, dá para antever qual vai ser a estratégia final, o êxito ou fracasso depende mais do que os tricolores vão deixar acontecer.
A superioridade teórica do Petro de Luanda, de modo algum, significa derrota imediata do Cuando Cubango FC, se fosse naquele tempo que deixou saudades, ninguém tinha dúvidas quanto ao dilatado placar final, mas mudaram-se os tempos e o Cuando Cubango tenta o impossível, entregar - se sem luta, seria ausência de atitude competitiva.
O jogo acontece, numa altura em que o campeonato entrou na fase de decisões finais, quer o Cuando Cubango FC, como o Petro de Luanda, dependem ainda da matemática, para alcançar o que pretendem, as circunstâncias são as mesmas para os dois lados, a luta pelos pontos vai atarefar na mesma dimensão os dois contendores, pelo que neste aspecto o jogo tem tudo para ser interessante, do princípio ao fim.