Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Petro ambiciona manter perseguição

Augusto Panzo - 22 de Abril, 2017

Petrolíferos prometem ganhar para continuar no grupo da frente

Fotografia: José Cola | Jornal dos Desportos

O Petro de Luanda defronta a partir das 16h00 de hoje, no Estádio 11 de Novembro, ao bairro do Camama, o Desportivo da Huíla, partida a contar para o prosseguimento da 11ª jornada do Girabola Zap de 2017, com os tricolores a pensarem na continuação do ritmo vitorioso, para não se deixar ultrapassar pelos concorrentes, na luta pelo topo da prova.

Sem querer pôr em causa a capacidade do Petro de Luanda, o duelo apresenta-se muito difícil para o conjunto comandado por Roberto Bianchi, a julgar pelos resultados registados nas três últimas épocas , entre esses dois conjuntos, em que o Desportivo  levou a melhor nas primeiras voltas dos campeonatos.

É certo, que os momentos não são iguais, mas caso queira sair vitorioso da contenda, a formação do Catetão vai ter de aplicar-se a fundo, para continuar na peugada dos seus principais concorrentes, na tabela classificativa.

Acostumado a vencer este tipo de duelos,  na primeira volta, com excepção para o Girabola de 2016 que terminou num nulo, o Desportivo da Huíla vai vender caro uma suposta derrota, a fim de justificar que das vezes anteriores não o fez por mero acaso.  

TRICOLORES
Bianchi e pupilos estão confiantes


Beto Bianchi é um treinador fiel ao sistema 4X5X1, liderado, em campo, pela visão estratégica de jogo de Manguxi, e sobretudo pelo carácter ofensivo de Job. Parte de uma defesa sólida e muito mecanizada, o técnico procura manter sempre o seu quarteto defensivo completo.

Os caminhos para a baliza de Gerson têm de estar bem fechados. Para isso, conta no eixo com uma sólida dupla de centrais, composta por Élio e Eliseu, que revelam grande jogo de cintura, perfeito sentido posicional para o corte e antecipação.

Os laterais Mira (à direita) e Ari (à esquerda) preocupam-se primeiro a defender, sobem depois em apoio, conduzem a bola no início de construção do jogo ofensivo.

No meio campo, à frente da defesa, dois médios recuperadores. Wilson, trinco, mais de contenção, perito em roubar bolas e embora jogue quase sempre curto, serve o outro médio centro, Carlinhos, um ou dois passos mais adiantado, e Manguxi,  médio de construção que à medida que sobe no terreno, torna-se no verdadeiro “playmaker” do onze. Ele é a grande referência para a circulação da bola, que tem sempre dois alas bem encostados aos flancos.

À direita, está o virtuoso Job para criar perigo com os seus dribles desconcertantes e bruscas mudanças de velocidade. À esquerda, Beto Bianchi aposta numa permuta de posições, que incute dinâmica ao seu 4x5x1, baralha as marcações adversárias, pois nessa movimentação, Mabiná  parte encostado à faixa, troca muitas vezes de posição com Job, de início colocado como falso avançado, atrás do ponta -de -lança fixo, Tiago Azulão.

Motivado pela série de vitórias, que protagoniza neste primeiro terço de competição (já vão sete), o conjunto às ordens de Beto Bianchi goza de condições anímicas excelentes, para dar sequência positiva ao percurso. Para tal, precisa de repetir o feito da última jornada, em que bateu a Académica, no Lobito.

E, como diz o velho adágio, em equipa que ganha não se mexe, é pouco provável que o técnico dos tricolores efectue alterações ou mexidas no grupo de jogadores que ajudou a dar corpo à última vitória. Ou seja, Beto Bianchi pode depositar confiança no mesmo \"onze \" da jornada passada. 

PAULO CACULO



DESPORTIVO TÉCNICO MÁRIO SOARES
“Nós não somos perus”


O técnico principal do Desportivo da Huíla, Mário Soares, atribuiu total favoritismo ao Petro de Luanda, no desafio de hoje à tarde, no Estádio 11 de Novembro, em Luanda, para a 11ª jornada do Girabola Zap 2017, por reconhecer no adversário superioridade para o triunfo.

Na antevisão do desafio, o técnico da equipa afecta à Região Militar Sul, realçou que a sua equipa terá pela frente uma tarefa difícil pelo facto de defrontar um crónico candidato ao título e superior em termos futebolísticos.

\"Vamos defrontar um adversário que é crónico candidato ao título que é o Petro de Luanda. Favoritismo total para o Petro de Luanda\", reconheceu o técnico.

Modesto, mas não rendido, Mário Soares repontou que diante do favoritismo total que reconhece ao Petro, o Desportivo dispõe também de argumentos próprios. Por isso, espera que esses argumentos se transcendam ao ponto de se tornarem suficientes para complicar as pretensões do adversário e fazer um bom resultado.

Para a materialização desse desiderato, disse esperar que o Petro tenha um dia mau e o Desportivo uma actuação inspirada.

\"O Petro tem maior percentagem. Mas esperar que os nossos argumentos sejam suficientes ou a nossa pouca percentagem seja suficiente para fazermos um bom resultado. Vamos esperar por um Petro nos seus piores dias e o Desportivo nos melhores dias para ver se conseguimos fazer um bom resultado\", torceu.

O técnico alertou que a clareza e lisura na abordagem de antevisão ao jogo não significa o atirar da toalha ao tapete e o abdicar da ambição natural e do propósito decretado na equipa que é o de encarar todos os jogos com o objectivo de vencer.

Pelo contrário, Mário Soares reafirmou a obrigação de escalar uma equipa lutadora com a missão de disputar o jogo para pontuar. \"

Vamos ter um Desportivo da Huíla de sempre. Reconhecer favoritismo total ao Petro de Luanda não significa que vamos em passeio. Não. Negativo.

Não somos perus e por isso, não queremos morrer de véspera. Vamos para disputar o jogo para procurar pontuar\", disse o técnico Mário Soares.
BENIGNO NARCISO, no Lubango


ESTÁDIO 22 de Junho
INTER-CAÁLA
Para a mesma jornada, o Interclube recebe no Estádio 22 de Junho, ao Rocha Pinto, o Recreativo da Caála, desafio de desfecho imprevisível, dada a cotação dos dois contendores.

Os polícias têm a vantagem de jogar em casa, situação que vão explorar da melhor forma, para chamar a si os três pontos,  e superar o seu adversário desta tarde,  no que toca à pontuação, condição em que o Interclube tem um ponto a menos que o Caála (13/14).

A formação da antiga vila Robert Williams(Caála), no Huambo, está consciente das dificuldades a enfrentar no 22 de Junho, mas a situação classificativa que ostenta de momento, pode ser um grande factor motivacional, razão pela qual não se pode descurar  de uma possível surpresa amarga para o Interclube.

S. RITA - MAQUIS
O Santa Rita de Cássia FC joga com o FC Bravos do Maquis às 15h30, no Estádio 4 de Janeiro, uma peleja em que se espera qualquer dos três resultados possíveis numa modalidade desportiva. 

O clube do santuário do Uíge precisa de sacudir o capote dos maus resultados das derradeiras jornadas, do outro lado vão estar os maquisardes que ainda não se superaram da má caminhada, mesmo depois da troca de treinadores.

Em Saurimo, o Progresso local enfrenta a equipa do JGM do Huambo, uma partida em que apesar do desporto reservar muitas surpresas, o conjunto treinado por Albano César tem mais hipóteses de triunfar, se bem que só o apito final do juiz dita a sentença certa.