Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Petro com boa safra na visita ao Maquis

DANIEL MELGAS, no Luena - 01 de Março, 2018

O atacante camaronês atirou a bola por cima da baliza de Gelson.

Fotografia: KINDALA MANUEL|EDIÇÕES NOVEMBRO

O Bravos do Maquis consentiu ontem a primeira derrota em casa e no Girabola Zap 2018, frente ao Petro de Luanda, por 3-0. Num jogo intenso e equilibrado, a entrega e disposição dos jogadores da equipa da casa foi impotente para travar a vontade e o querer do adversário, que na etapa complementar fez jus ao seu estatuto.
Com o governador provincial, Gonçalves Muandumba nas bancadas, pela primeira vez esta época, os maquisared iniciaram à partida com um futebol vistoso e objectivo. A vontade de adiantarem-se no marcador era visível no plantel às ordens de Zeca Amaral.
Com marcação cerrada e bola assente no relvado, o Bravos do Maquis e Petro de Luanda mostraram vontade de vencer. Neste período, assistiu-se a uma partida com bons recortes técnicos. As duas equipas privilegiavam  jogadas rápidas de contra-ataque e transições.
Esta postura teve um custo negativo para os maquisardes que viram Diawara, Chico e Zeca, até então as unidades de maior destaque no sector ofensivo, a diminuírem a velocidade já no decair da etapa inicial.
Diawara, que tem sido um peça influente, desperdiçou uma oportunidade para abrir o marcador, mas não teve calma para visar a baliza contrária. O atacante camaronês atirou a bola por cima da baliza de Gelson.
Na resposta aos 22\' Diney com um remate forte e colocado obriga o guarda-redes Dadão à uma defesa de recurso. Com Petro a pressionar Herinilson desperdiça uma soberana oportunidade quando o guarda-redes contrário encontrava-se já batido.
Na etapa complementar, às equipas regressaram motivadas em busca do golo. Os tricolores aproveitaram de alguma apatia,  falta de criatividade do meio campo contrário para mandar no jogo. Foi com este ascendente que numa transição rápida, beneficiou de uma grande penalidade executada com mestria pelo goleador brasileiro Tiago Azulão, aos 70\'.
Inconformado com a desvantagem o técnico maquisarde respondeu com duas mexidas no plantel. O atacante Dabanda e o defesa Chole entraram para mudarem o rumo do jogo. O batalhador e velocista avançado podia ter chegado a igualdade aos 75, mas faltou discernimento.
Os últimos minutos foram de intenso domínio do Petro e pesadelo para o Maquis. Com a equipa da casa a acusar algum, já no tempo extra, Tony e Francis fecharam com um golo cada.