Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Petro de Luanda e 1º de Agosto preparam clássico

Jorge Neto - 08 de Setembro, 2017

Rubro e negros estão apostados em resgatarem o comando do campeonato

Fotografia: CONTREIRAS PIPAS

A equipa técnica do 1º de Agosto decidiu realizar as sessões de treino no Estádio França Ndalu, visando o clássico deste domingo, diante do Petro de Luanda, às 17h00, no Estádio 11 de Novembro, longe dos olhares da imprensa, adeptos e de outros interessados, procurando com isso manter no máximo a concentração dos jogadores.

A preparação dos campeões nacionais e os sistemas tácticos para este embate está 'escondido' e rodeada de muito sigilo. A forma como o bósnio Dragan Jovic vai abordar o jogo diante do arqui-rival e que pode decidir o título desta época, está a suscitar um vivo interesse.A importância do jogo e a forma como os agostinos estão a encará-lo, pois apenas a vitória interessa para as suas pretensões, está a criar uma certa expectativa.

Outro factor que terá pesado para decisão de treinarem a porta fechada prende-se com o facto de retirarem uma certa pressão sobre o plantel.
Depois do empate inesperado na jornada anterior diante da formação do Santa Rita de Cássia (1-1), os militares depositam grande confiança neste jogo e encaram como "uma autêntica final", já uma derrota pode comprometer as suas aspirações.

O plantel está consciente de que não devem desperdiçar mais pontos nesta fase derradeira do campeonato, sob pena de perderem terreno para o seu concorrente.Em função das sucessivas mexidas que o técnico Dragan Jovic tem feito na equipa esta época, dificilmente repete o onze inicial, é crível que hajam mudanças de peças no domingo, eventualmente no centro da defesa com o regresso do capitão, Dany Massunguna, recuperado da lesão.

Contudo, é na zona do meio-campo onde reside o maior número de opções, Buá, Ibukun, Medá, Schow, Macaia, Vado, Nelson da Luz, Gui e Catraio todos disputam para conquistar a confiança da equipa técnica neste desafio. No ataque, as coisas parecem mais facilitadas com o cabo-verdiano Rambé confirmado, enquanto Diogo e Guelor aguardam na expectativa pela chamada do treinador para este embate de maior cartaz da jornada.

Depois de alguns dias a trabalharem longe do olhar de terceiros, os militares regressam hoje, às 11h00, no ex-RI20. A habitual conferência de imprensa para o lançamento do clássico acontece após o a sessão com o técnico-adjunto Ivo Traça e mais um jogador a falarem à imprensa.
O ambiente na formação militar é de confiança e a motivação é de recuperarem o comando da classificação perdida quarta-feira pelo mesmo adversário deste domingo.

O confronto entre as duas equipas mais titulados do campeonato iniciou-se em 1981 com os militares a ganharem por 2-0, ao passo que o resultado mais desnivelado ocorreu em 1988, no 6-0 favorável aos tricolores.No histórico, contam-se 22 vitórias para o 1º de Agosto, 31 para o Petro e 20 empates. O Petro possui 15 campeonatos ganhos e o 1º de Agosto 10.

CLÁSSICO
Jogo mais esperado


Separados por dois pontos, o 1º de Agosto e o Petro de Luanda disputam o 74º clássico. De resultado imprevisível e aguardado com muita expectativa pelos adeptos e amantes da modalidade, o ‘’derby’’ luandense opõe o segundo ao primeiro classificado, com vantagem para os “petrolíferos ” que somam 53 pontos, mais dois que os “militares” (51).   

O 1º de Agosto entra para o ‘’duelo’’ com responsabilidades acrescidas, dada a condição de detentor do título, situação há muito não vista e que pode dar outro carácter ao desafio entre os maiores emblemas do futebol nacional, numa altura em que procuram manter a liderança e dar passo importante na luta pela conquista da prova.

Ambos vêm de resultados dispares da ronda anterior, pois os ‘’militares’’ empataram (1-1) diante do Santa Rita de Cássia do Uíge, enquanto os ‘’tricolores’’ venceram (3-0) o Recreativo da Caála do Huambo.A contenda tem ainda o condão de incluir os dois líderes do marcador da prova, nomeadamente Tiago Azulão, do Petro, com 14 golos, bem como Rambé (11), do 1º de Agosto, que certamente vão procurar sair com o mérito de tentar violar as redes contrárias.

Nos últimos três jogos entre si cada obteve uma vitória e um empate, tendo os “militares” ganho na primeira volta do Girabola transacto, por 1-0, e os “petrolíferos” na segunda, no fecho do campeonato, pelo mesmo resultado. O empate nulo aconteceu na nona ronda da presente competição (Girabola2017).     

Os comandados de Dragan Jovic e Beto Bianchi deverão então procurar dar o melhor de si na busca dos três pontos e aguardar por mais um deslize dos outros supostos candidatos, no caso o Sagrada Esperança, Kabuscorp e Recreativo do Libolo, que apesar da distância, ainda poderão “sonhar” com a hipotética de concorrência ao “trono” nacional.   

PREPARAÇÃO
Petrolíferos descartam poupanças


Um dia depois da vitória sobre o ASA, a equipa do Petro de Luanda não poupa esforços e já prepara o embate da 24ª jornada, frente ao 1º de Agosto. Beto Bianchi promoveu ontem uma sessão de treino, no Catetão, cujo principal enfoque foi a recuperação da condição física dos jogadores.Depois de ter aplaudido o excelente labor patenteado pelo sector ofensivo no triunfo sobre os aviadores, no jogo de conclusão da vigésima jornada, o treinador do Petro voltou a chamar a atenção para a necessidade imperiosa de a equipa manter o nível, antes do aguardado confronto com o crónico rival, 1º de Agosto.

O técnico destacou o facto de ter à disposição um grupo de atletas muito aplicados, sempre disponíveis e, sobretudo, prontos a justificar a qualidade e a oportunidade na equipa. Mostra-se, por isso, confiante em relação ao futuro."Todos os jogos são finais para ganhar. Sabemos que teremos muitas dificuldades no jogo com o nosso principal rival", disse, referindo-se ao jogo com o 1º de Agosto, agendado para domingo, no estádio 11 de Novembro.

O treinador reafirma ter chegado a altura de encarar todos os jogos como se de autênticas finais se tratassem. E a estratégia começa a surtir efeitos esperados pelos adeptos, na medida em que num ápice os tricolores ultrapassaram o seu mais directo perseguidor e encontram-se, agora, no comando da liderança.

Os vários apelos à disciplina e ao rigor táctico têm ajudado Beto Bianchi a realizar um percurso assinalável. Apesar da sessão de treino de ontem ter servido apenas para recuperar os jogadores do cansaço do jogo com o ASA, ainda assim, foi visível a satisfação do treinador com os resultados da entrega colectiva do grupo.

Beto Bianchi volta a ensaiar com o grupo hoje, em sessão única, às 9h00, no campo de Treinos do Catetão. Ensaios tácticos, de movimentação ofensiva e defensiva deve dominar o ensaio dos tricolores até sábado, véspera do desafio mais interessante da 24ª jornada do Girabola Zap.
A recuperação de Wilson, Dennis e Pedro domina a preparação dos tricolores.

Já o médio Herenilson deve regressar aos eleitos para o jogo de domingo, após cumprir jogo de castigo por acumulação de cartões amarelos.Treinam às ordens do técnico hispano-brasileiro os seguintes jogadores; Gerson, Lamá, Mig (guarda-redes), Maludi, Elio, Abdul, Mateus, Ari, Mira, Manguxi, Job, Wilson, Carlinhos, Diógenes, Herenilson, Mabiná, Balakai, Pedro, Tony, Diney, Tiago Azulão, Dennis, Nandinho e Bebo.
                     PAULO CACULO

GOLEADOR
Tiago Azulão de "pé quente"


 O avançado brasileiro, Tiago Azulão, não está para meias-medidas. Disposto a mostrar trabalho, o atacante mantém a veia goleadora e espelha bom momento de forma em véspera do grande clássico do campeonato nacional. O golo rubricado frente ao ASA, que o cimentou na liderança dos melhores marcados, agora com 14 golos, justifica as qualidades, que o identificam como um jogador com uma relação íntima com as balizas contrárias.

Azulão continua a provar ser um atleta com talento e dotes de goleador agradáveis para a "nação tricolor", que aspira o título, como se do pão para a boca se tratasse. O jogador tem dado mostras de não ter mais nada a provar ao treinador e, consequentemente, aos adeptos do Petro, sobretudo os que se mostraram cépticos aquando da sua contratação.

O atacante é, simplesmente, a unidade mais regular do ataque da equipa petrolífera, sendo um dos totalistas, à semelhança do guarda-redes Gerson. Como a sua presença em campo, os tricolores mostram-se muito mais confiantes nos triunfos e as balizas contrárias "incapazes" de reagir à sua arte e engenho em finalizar jogadas.Como a façanha deve continuar a servir de motivação, o atacante brasileiro pode não ter razões de queixas, para mostrar-se confiante no embate de domingo, diante do 1º de Agosto, cuja presença em campo pode ser importante para os anseios da equipa.                                   PC