Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Petro de Luanda tem jogo complicado

Augusto Panzo - 29 de Abril, 2017

Grémio do Moxico tenta segunda vitória ao comando de Zeca Amaral

Fotografia: José Cola | Edições Novembro

O FC Bravos do Maquis e Petro de Luanda protagonizam hoje, às 15h00, no Estádio Mundunduleno, o principal duelo da abertura da 12ª jornada do Girabola Zap 2017. O jogo promete, em razão valor competitivo e da ambição dos contendores, na competição.

A equipa maquisarde moralizada com a vitória na ronda passada, no Uíge, sobre o Santa Rita de Cássia FC, por 2-1, a primeira sob comando de Zeca Amaral, almeja o ciclo de triunfos na competição, embora, reconheça ser tarefa nada fácil, dada  a boa forma desportiva dos tricolores.

Os tricolores costumam realizar excelentes resultados nas deslocações a Luena, por isso,  almejam os três pontos no duelo desta tarde, para estarem firmes no pelotão da frente, em que estão também, o Sagrada Esperança da Lunda Norte, e o Kabuscorp  do Palanca.

Os lundas sabem disso, aliás, o facto do Petro de Luanda fazer parte do trio que comanda o campeonato com 25 pontos, deixa ainda mais de sobreaviso, a equipa de Zeca Amaral.  

A vitória suada na jornada passada, diante do Desportivo da Huíla, nem por isso deixa o Petro de Luanda sobressaltado. Aliás, independentemente do magro resultado (1-0), os tricolores alcançaram o objectivo no jogo com a conquista de três pontos, o que deixa a equipa de Beto Bianchi moralizada para o embate no Luena.

O estreante JGM Académica Sport do Huambo, apesar de carregar a lanterna vermelha da prova, está a fazer bons jogos em casa, independentemente do valor do adversário. Trata-se de um pendor, que pode voltar a acontecer esta tarde, às 15h00, no Estádio dos Kuricutelas, na recepção ao também aflito Atlético Sport Aviação (ASA).

O jogo é de resultado imprevisível, a julgar pelos níveis competitivos comparados dos dois conjuntos. A jogar em casa, o conjunto tecnicamente orientado por Águas da Silva não quer perder a oportunidade que se apresenta favorável, sobretudo, devido à actual situação classificativa.

O ASA, por sua vez, vê neste jogo um ângulo aberto para sacudir a manta dos maus resultados de que se revestiu desde o início da prova, ensopada com o facto de não ter conseguido um único triunfo fora do seu reduto.