Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Petro despacha Progresso

22 de Maio, 2016

Tricolores tiveram a finalizao em dia no confronto com os sambilas e regressaram ao Cateto com os trs pontos aps disputa da 13 jornada do campeonato

Fotografia: Paulo Mulaza

O Petro de Luanda colocou ontem à tarde, no estádio da Cidadela, ponto final ao jejum de duas jornadas sem vencer no Girabola Zap 2016. O regressou dos comandados de Beto Bianchi às vitórias foi diante do Progresso Sambizanga, por 2-0, com golos de Wilson e Jiresse, numa partida que teve duas partes distintas: A primeira dominada pelos sambilas e a segunda pelos tricolores.

O desafio começou com um estudo mútuo entre os dois conjuntos e de facto demoraram a sair desta condição, pois demonstravam muito respeito, jogando no seguro e sem criarem grandes oportunidades para marcar.

Os jogadores preocuparam-se em fechar os espaços ao adversário, daí as dificuldades que as duas partes sentiram para encontrar os caminhos das balizas defendidas por Nyame e Gelson. Contudo, houve muita luta na zona do meio-campo, pela disputa da posse de bola e na tentativa de sair rápido ao ataque.

Aos poucos as equipas foram se soltando e o sinal mais pertencia aos pupilos de Albano César, conseguiam fazer circular mais a bola e os laterais Chora e Lunguinha, subiam para ajudar o ataque, ora travados em falta, ora com cruzamentos.

Do lado dos comandados de Beto Bianchi notou-se muita apatia nos jogadores que tinham a missão de construir as jogadas ofensivas, Carlinhos, Manguxi e Balakai, com Fabrício solitário no ataque, daí que no primeiro tempo não incomodaram o guarda-redes Nyame.

O capitão Yano, do Progresso Sambizanga, fez dois remates com grande perigo para baliza de Gelson. O primeiro embateu no travessão e o segundo roçou o poste, sem um colega por perto para empurrá-la para o fundo da baliza. Os dois técnicos não perderam tempo e na segunda metade mexeram nos seus conjuntos, entraram Joãozinho (Progresso) e Jiresse (Petro). Mais Feliz foi Beto Bianchi, pois, no primeiro lance que tocou na bola, o tricolor Jiresse cabeceou ao travessão, aos 46´, em boa posição e com o guarda-redes Nyame já batido.

Porém, o golo surgiu pela cabeça do defesa-central Wilson, aos 57´, fugiu da marcação e apareceu isolado junto ao poste direito de Nyame. A cabeçada certeira resultou de um cruzamento de Mabiná, depois de um falhanço de Carlinhos, o que deu mais ânimo ao jogo. Aos 70´, Jiresse arrancou com velocidade a partir do meio-campo adversário e quando se esperava que fosse rematar já diante de Nyame foi-lhe roubada a bola por um defesa, para o inconformismo do avançado do Petro.

Nesta etapa, os pupilos de Beto Bianchi dominavam o jogo e criavam outras situações para marcar, mas pecavam no último passe ou na finalização, deixando os sambilas numa posição de alguma ansiedade no jogo; sambilas que viriam a sofrer o segundo golo aos 88´, por Jiresse, que quebrou um grande jejum no campeonato.


OPINIÃO DOS TÉCNICOS

Albano César
(Progresso)

“Cometemos alguns erros”

“Sabíamos que seria um jogo difícil. Hoje (ontem)  não jogámos bem. Cometemos alguns erros na defesa e quando é assim, sofremos dois golos e perdemos o jogo. Tínhamos consciência das dificuldades, pelo que era preciso estarmos concentrados e fazer o nosso jogo. Infelizmente não conseguimos e estivemos aquém daquilo que pretendíamos para este desafio”.

Beto Bianchi
(Petro)

“Praticámos um bom futebol”

“Sabíamos das dificuldades que iríamos enfrentar dado o nosso adversário, mas felizmente os meus jogadores praticaram um bom futebol, pelas alas, que é algo que estamos à procura. No primeiro tempo não foi assim, mas no segundo estivemos melhor e estamos felizes por esta vitória que nos transmite mais confiança no nosso trabalho, que tem surtido os seus frutos”.


ARBITRAGEM
Bom trabalho


O árbitro António Caxala esteve bem no ajuizamento do desafio entre o Progresso Sambizanga e o Petro de Luanda, por isso sem influência no resultado final. Foi bem auxiliado por Wilson Ntyamba e Estanislau Guedes nas situações de fora-de-jogo.
 
O juiz não deu nas vistas, mostrou o cartão amarelo sempre que necessário para penalizar disciplinarmente os jogadores infractores. Caxala esteve bem e acertou nas decisões que teve. Deu a lei da vantagem quando pôde e interrompeu as jogadas quando a situação exigia.


MELHOR EM CAMPO
Cultura táctica
de Herenilson


A cultura táctica demonstrada pelo médio defensivo do Petro de Luanda, Herenilson, foi fundamental para ajudar os tricolores  a ganhar o jogo diante do Progresso Sambizanga. O tricolor tapou os caminhos para a sua baliza, cortando as jogadas dos jogadores sambilas, principalmente no segundo tempo, período em que apareceu com outra disposição. A jogar atrás de Carlinhos foi nos seus pés que as jogadas dos adversários se perdiam em função do seu bom posicionamento em campo. Ajudou tanto nos lances defensivos, como a entregar a bola jogável para os seus companheiros de equipa. Bom jogo do camisola 18.