Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Petro em Menongue e Interclube joga em casa

Betumeleano Fero - 09 de Junho, 2018

Quem tem um plantel com rostos bem conhecidos do nosso futebol porque tem capacidades de prevalecer contra qualquer adversrio.

Fotografia: Jo Cola

O sintético do Municipal em Menongue vai pôr à prova hoje à tarde, a partir das15h00, a atitude competitiva do Petro de Luanda, segundo classificado do Girabola ZAP com 27 pontos. A qualidade do relvado é um obstáculo difícil para os visitantes, mas um aliado para o anfitrião Cuando Cubango FC. A formação tricolor tem de provar que está talhada para qualquer adversidade e justificar o ascendente que regista. Se triunfar vai reduzir para um a diferença pontual em relação ao líder 1º de Agosto, que só joga na segunda-feira.
Todas as equipas que foram ao Menongue sentiram dificuldades de lidar com a desenvoltura do Cuando Cubango na relva artificial. A boa qualidade do seu plantel mais o conhecimento real dos cantos da casa, aumentam sempre as possibilidades do primodivisionário pontuar.
O Petro de Luanda sabe que a desculpa do piso não tem força suficiente para travar a ambição de quem está focado no título nacional, por isso, acreditamos que vai espalhar o seu combustível em toda a largura e cumprimento da relva sintética, para advertir aos anfitriões que se podem queimar, a qualquer momento.
Os tricolores sentiram muitas dificuldades para vencerem na primeira volta, mas a realidade hoje será diferente. O campeonato está na segunda volta, o que significa que a novidade já não vai atrapalhar a única equipa que reúne consenso dos apostadores, para somar os 3 pontos. É a obrigação que todos estão a espera de ver o Petro a cumprir.
A vitória pressiona o vice -líder, motivo mais do que suficiente para acreditar que a formação orientada por Beto Bianchi não vai permitir que o Cuando Cubango fique tranquilo, na sua zona de conforto. Via de regra,  a equipa da casa até gosta de ser generosa na postura em campo, daí que os visitantes terão de ter espaço suficiente para se espalharem pelo sintético do Municipal, talvez sem precisar de abre-latas.
O plantel da formação das Terras do Progresso está recheado de jogadores com experiência de Girabola ZAP, aditivo que pode ser um trunfo capaz de dar o mínimo, o tal pontito (in)esperado. Em todo o caso, um triunfo caseiro não pode ser posto de parte, pois, o \"caloiro\" na prova tem feito bons jogos contra os candidatos.
As atenções vão estar em Menongue, é verdade, mas no 22 de Junho também há um jogo capaz de ser renhido. A visita do Desportivo da Huíla ao Interclube, pode ser o teste ideal para acordar as faculdades competitivas dos polícias.
A mancha e a mácula pararam a marcha, que parecia imparável, dos polícias. Contudo, nada ainda está perdido, ou melhor, a equipa pode começar a recuperar, a partir de hoje, o doce passado, diante de um adversário muito experiente.
Paulo Torres e pupilos estão atrás do prejuízo. E é ponto assente que tem de ganhar para reajustar o passo e impedir que o 1º de Agosto e o Petro repitam o que sucede há três épocas seguidas. A bipolarização da questão do título pode voltar a ser moda no campeonato, mas para isso acontecer é necessário que os polícias fiquem a ver navios.
Os militares estão numa posição abaixo do Interclube, porém, a diferença de seis pontos indicia que ainda é cedo demais para se falar em equivalência entre os contendores, embora o Desportivo tem condições para cometer desacatos no 22 de Junho.
Quem tem um plantel com rostos bem conhecidos do nosso futebol é porque tem capacidades de prevalecer contra qualquer adversário. Dos militares da Frente Sul se espera tudo menos ficar na retranca.