Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Petro empata e conserva liderana

Edvaldos Lemos - 27 de Fevereiro, 2020

Petro e Progresso repartiram os pontos num jogo de penalidades

Fotografia: Paulo Mulaza, Edies Novembro

O dérbi de ontem, entre o Progresso Sambizamga - Petro, de acerto a 17ª jornada e aguardado com expectativa, terminou empatado a uma bola, com os dois golos apontados de grande penalidade, num jogo que teve um final emocionante.
Com o campeonato a caminhar para a sua etapa derradeira, perder pontos nesta fase pode comprometer as aspirações, por isso assistimos duas equipas com sentido de sacrifício e solidárias, na entreajuda ofensiva e defensiva.
Os tricolores, como lhes competia, assumiram a iniciativa do jogo, uma atitude normal se atendermos o seu objectivo na prova, aliada a motivação reinante no plantel pelo facto de liderarem o campeonato, condição que não estavam dispostos a perder seja a que preço fosse.
Do lado sambila, a vitória na recepção ao Wiliete foi um adicional, que motivou a equipa para travar o seu oponente. A viver um período de bonança, a formação orientada por Hélder Teixeira encarou sempre o jogo pelo jogo.
O Petro foi a primeira a pregar o susto a baliza contrária, com o guarda-redes Coyo a ser várias vezes obrigado a fazer defesas apertadas, para evitar a violação da sua baliza. Yano, no reencontro com os seus ex-colegas, era o mais inconformado.
O número 28 dos tricolores desperdiçou uma grande oportunidade, frente ao guarda-redes contrário, a passagem do minuto seis. Na resposta o avançado Messias rematou forte a baliza de Elber, mas sem sucesso. O jogo estava lançado.
Quando faltavam dois minutos para o intervalo, com a partida a ser disputada sob o signo de equilíbrio, Herenilson viu a cartolina vermelha, por acumulação de amarelos, uma saída que complicou em certa medida a estratégia do técnico Toni Cosano.
Na etapa complementar, as duas equipas entraram com a mesma disposição. Yano voltou a criar calafrios aos sambilas com um cabeceamento, que obrigou Coyo a mais uma defesa apertada. Em resposta, o avançado Celso fez o impossível ao falhar cara a cara com Elber.
Com o jogo a ser disputado no ora atacas tu ora ataco eu, aos 62', a castigar mão a bola a um defensor contrário, Toni, na marcação de uma grande penalidade, inaugurou o marcador.
Quando tudo parecia que os três pontos estavam garantidos para o Petro, num lance duvidoso, o árbitro da partida castigou mão a bola ao central Ghana. Quibeixa chamado a cobrar, não decepcionou a claque do Progresso, repondo a igualdade no marcado.
O árbitro esteve bem ao longo da partida. Firme nas suas decisões não se deixou influenciar pela pressão dos dois bancos mantendo sempre as suas posição em campo. Foii peremptório no lance do penalti, culminando com a expulsão do treinador Toni Cosano.