Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Petro faz a apresentao do plantel aos adeptos

Paulo Caculo - 06 de Fevereiro, 2017

Tony (na foto) e Tiago Azulo apontaram os tentos dos tricolores ontem no jogo diante do Desportivo da Hula

Fotografia: Francisco Bernardo

Um Petro mais jovem e dinâmico, mas ainda a revelar alguma falta de homogeneidade entre os sectores, viu-se e desejou-se para derrotar ontem, no estádio dos Coqueiros, o Desportivo da Huíla, por 2-0, com golos dos brasileiros Tony e Tiago Azulão, em jogo de apresentação oficial do plantel aos sócios e adeptos, tendo em vista a nova época futebolística.

Diante de um convidado que soube valorizar o espectáculo, realce para a exibição de um conjunto tricolor, cujo treinador confirmou, mais uma vez, a ideia de que o futuro da equipa deve passar, irremediavelmente, pela aposta na juventude. Como prova disso, os mais jovem do plantel tem apenas 16 anos, chama-se Pedro, e vem dos escalões de formação.

Num desafio com alguma emoção, mas sem grande história, destaque para o ponto mais alto da cerimónia, protagonizada com a homenagem ao veterano Chara, que fez o seu último jogo com a camisola da equipa, 15 anos depois de ter emprestado à sua qualidade futebolística ao serviço do conjunto tricolor.

O camisola 8 do Petro jogou apenas 15 minutos, deixou o relvado rendido pelo promissor Pedro, deixando para trás um legado enriquecido de títulos. Antes de entregar a braçadeira ao novo capitão, Job, e prestes a abandonar o relvado, Chara foi efusivamente saudado pelos adeptos, que fizeram questão de colocar-se de pé para aplaudir o craque.

Em relação aos titulares, pouco ou quase nada se vislumbra em termos de novidades, já que relativamente a equipa muito utilizada por Beto Bianchi na época passada, apenas as entradas dos reforços brasileiros Rubinho e Tony foram as alterações. Permaneceram nas opções inicial do treinador, neste jogo, Gerson na baliza, Ari, Elio e Wilson na defesa, Herenilson, Manguxi e Job no meio-campo e Tiago Azulão no ataque.

Os tricolores, que ao intervalo já vencia por 1-0, com golo de Tony, aos 30´, foram capazes de dilatar a vantagem na segunda parte, por intermédio de Tiago Azulão, aos 57´. Quer nos primeiros 45 minutos, como na etapa complementar, a qualidade do futebol patenteado pelo Petro, embora não tivesse sido brilhante, teve períodos que esteve muito perto disso, na medida em que era uma equipa a jogar sem complexos, a trocar muito bem a bola entre os sectores e a criar ocasiões para marcar.

As constantes mexidas efectuadas à equipa pelo técnico Beto Bianchi contribuíram também para quebrar a qualidade da exibição. O treinador não quis deixar ninguém fora do desafio de apresentação oficial aos adeptos e sócios, razão pela qual efectuou muitas substituições. Apenas Herenilson fez os 90 minutos.

Do Desportivo da Huíla ficou a imagem positiva de um conjunto que pode surgir em grande esta época, criando dificuldades aos candidatos e colhendo os "pontos fáceis" sem dificuldades.

O desafio teve a arbitragem de Job da Silva, auxiliado por Luís Leite e Eurico Munene. Sabino de Carvalho foi o 4º árbitro, enquanto Victor Garcês assumiu a missão de comissário ao jogo.