Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Petro na linha da frente

19 de Outubro, 2019

O derbi entre o Petro e o Progresso foi decidido nos detalhes

Fotografia: M.MACHANGONGO| Edies Novembro

As posições no comando do Girabola Zap 2019/2020, começam a estar compostas, após a vitória do Petro de Luanda, por 2-1, no dérbi de ontem frente ao Progresso do Sambizanga, em partida de acerto referente a 2ª jornada.
Com o triunfo, os tricolores assaltaram o segundo lugar e dão sinal de voltarem a estar vivos para o que der e vier, rumo aos objectivos preconizados para esta época. Sem terem realizado uma grande exibição, os comandados de Toni Cosano cumpriram com o trabalho de casa.
O atacante Yano voltou a ser decisivo nos lances em que interveio e forte nas assistências, assim como nas combinações com os seus colegas. Diante da sua antiga equipa, as atenções estavam centradas em si e o atleta não defraudou.
Foi num lance de ataque da sua equipa, que conseguiu \"cavar\" a grande penalidade, que originou o golo da vitória. Ao longo da partida conseguiu atrair os defesas contrários e não foi por acaso, que o primeiro sinal de golo saiu dos seus pés, com toque subtil a forçar o guarda-redes contrário a uma defesa por instinto.
O Progresso reagia bem a pressão do Petro, procurando equilibrar a partida, evitando a violação das suas redes. A avalanche ofensiva dos donos de casa deixava antever o golo a qualquer a momento.
O relógio marcava 23 minutos, após o apito inicial da partida, e os tricolores, com espírito de vitória, fizeram jus ao seu estatuto de favoritos. Dani, num lance de investida do ataque da sua equipa, após um cruzamento atrasado de Tó Carneiro, rematou forte e colocado, não dando qualquer hipótese ao guarda-redes contrário. 
O Progresso respondeu num contra-ataque, com Chiló a acreditar e a baralhar a defesa contrária, para bater Elber e igualar o dérbi. A falta de comunicação entre o defesa Wilson e o guarda-redes ditou a sentença do resultado, que levou até o final da primeira parte.
No reatamento os sambilas entraram mais progressivos e por várias vezes chegaram a grande área dos tricolores com perigo, aproveitando a sua melhor frescura física e posicionamento dos seus atletas em busca da vantagem no marcador.
O Petro enfrentava inúmeras dificuldades, para travar o domínio do adversário e Toni Cosano, apercebendo-se dos riscos que corriam, mexeu na equipa, colocou o avançado Job em substituição de Picas, e foram necessários apenas oito minutos, para a sua equipa recuperar a dinâmica de jogo.
Num lance de contra ataque Yano permitiu que fosse derrubado na grande área do Progresso. O árbitro Benjamim Andrade não perdoou e deu a sentença máxima. Toni foi chamado a cobrar e não decepcionou, fechando o marcador em 2-1, quando eram decorridos 73\'.
Os sambilas ainda reagiram em busca da igualdade, mas não tiveram a arte e nem engenho para igualarem a partida. Os tricolores ainda desperdiçaram mais oportunidade para ampliar o marcador.