Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Petro perde invencibilidade

23 de Abril, 2018

Formao petrolfera tem perdido muitos pontos nesta etapa inicial do campeonato

Fotografia: Vigas da Purificao| Edies Novembro

Sem um fio de jogo delineado, o Petro de Luanda, vice-campeão do Girabola2017, foi derrotado sábado pela primeira vez na presente temporada do Girabola, por uma bola a zero, pelo Recreativo na Caála, ao cabo de nove jornadas.
O único golo do jogo, disputado no estádio Mártires da Canhala, foi apontado aos 50 minutos por Deco, que não desperdiçou uma assistência de Tchitchi à entrada da grande área, batendo inapelavelmente Gerson, o guarda-rede dos tricolares, que continuam, assim a fazer um campeonato titubeante.
Sem muita atitude na etapa inicial da partida, o Caála, que regressa as vitórias depois de quatros jogos, viu os forasteiros a dominar os primeiros minutos do jogo, que  criaram a primeira situação de golo por Francis nos instantes iniciais.
Aos 11 minutos o Petro de Luanda quase adiantou-se no marcador por intermédio de Tony que obrigou Beny, a uma defesa apertada.
Os petrolíferos, dominadores ao longo da primeira parte, criando outras situações de perigo por Mira, Dennis e Tony, mas sem eficácia na finalização.
O único lance de realce criado pela turma comandada por David Dias, ao longo dos primeiros 45 minutos, aconteceu no minuto oito, quando Gudy, servido por Tchitchi, desperdiçou a oportunidade de colocar a sua equipa em vantagem ao desviar a bola a escassos sentimentos da baliza tricolor.
O intervalo fez bem ao Recreativo da Caála, demonstrado mais dinamismo na segunda parte, anulando às investidas do Petro, orientado pelo adjunto Flávio Amado, por conta do castigo de Bento Bianch, que viu vermelho do clássico da jornada anterior.
Ciente da necessidade de vencer o desafio, após duas derrotas consecutivas, o Recreativo da Caála elevou os níveis técnicos e tácticos, que lhes valeu o golo aos 50 minutos.
Com a desvantagem no marcador, o Petro procurou reorganizar as suas jogadas e aos 59 minutos Francis por pouco não chega a igualdade após um remate fora da grande área, não fosse o alto nível da defesa de Beny.
Animado com a vantagem, a equipa da casa anulou com mais facilidade as jogados do Petro de Luanda, que ia demonstrando também já pouco discernimento, provavelmente pelo cansaço imposto pelo altitude do planalto central.
Com este resultado, o Recreativo da Caála coma 14 pontos na oitava posição os mesmos que o seu oponente de sábado, na sétima posição.