Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Petro pode alargar passada

Betumeliano Ferro - 08 de Julho, 2018

Petrolferos tm esta tarde teste difcil na deslocao ao reino do leo de Cabinda

Fotografia: Santos Pedro | Edies Novembro

A desistência do JGM pode dar um benefício antes inimaginável para o Petro de Luanda. O 1º de Agosto folga nesta ronda, porque não tem como jogar com quem desistiu.
Os tricolores podem aproveitar a falsa bondade, para ganharem no difícil reduto do Sporting de Cabinda, hoje às 15h00 no Tafe, para abrir três pontos de vantagem na liderança, uma realidade capaz de animar a equipa no despique directo com o rival.
Os petrolíferos estão atrás do prejuízo. A segunda volta permitiu ficar com a mão na massa, agora é hora de tirar o lucro com tudo isso. É verdade, que os cabindenses têm sido uma das gratas sensações do Girabola ZAP 2018, mas a ambição do título tem de espicaçar a equipa orientada por Beto Bianchi, para somar e seguir com competência.
As deslocações ao Tafe não têm sido fáceis, para quem anseia caçar o leão no seu território. Com excepção do Interclube, mais ninguém conseguiu dar-se bem no reino leonino.
É essa a meta, que o Petro de Luanda também vai tentar atingir esta tarde. A segunda volta está a dar muitas coisas boas aos tricolores, motivo por que os adeptos por Cabinda afora, estão esperançados no desfecho previsível.
O plantel tricolor sabe da importância de reforçar a liderança no Girabola ZAP e, esta tarde, tem tudo para aumentar a pressão sobre o rival, que tem alternado muito nessa segunda volta.
Uma vitória extramuros vai aumentar a confiança dos petrolíferos, pois, nas últimas temporadas, têm visto o principal oponente a fazer a festa no final, cenário que se pode alterar essa época, se souberem tirar proveito das suas chances.
O Sporting de Cabinda tem uma motivação extra na recepção ao Petro de Luanda, mas antes de pensar em fazer melhor do que na primeira volta, o leão vai ter de controlar os seus níveis de ansiedade, para impedir que se transforme num fardo adicional difícil de suportar. Por mais que saiba jogar de pé para pé, vai ser determinante permanecer de pé durante os 90 minutos, porque o tricolor vai esticar a corda para que rebente no lado mais fraco, o leonino, já que há mais qualidade nos visitantes, para gastar as fichas que quiser.
Uma vitória no Tafe é o preço supremo que os tricolores  têm de estar dispostos a pagar na jornada 22, pois, até o fim da prova, jamais terá a soberana oportunidade de entrar em campo sem a sombra do resultado do rival.
O Petro hoje depende apenas da sua competência. Vai ser necessário muita cabeça fria, controlar a pressão e aproveitar o que há muito persegue no campeonato, ganhar uma certa folga sobre o arqui-rival 1º de Agosto.
Um deslize, até com um empate, é tudo o que os visitantes querem evitar esta tarde. É verdade que, houve ocasiões, em que os tricolores tropeçaram quando não deveriam, mas logo vai ser interessante ver se há ou não alma de campeão no Catetão.
A maré de esperança tricolor tem de aparecer em campo, para fazer todos os estragos que cheguem para somar e fugir na liderança.