Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Petro pode chegar ao topo

Betumeleano Ferro - 16 de Setembro, 2016

Os proletrios preferiam enfrentar um adversrio menos competitivo nesta fase

Fotografia: Jornal dos Desportos

O Petro de Luanda tem esta tarde, a partir das 15h30',  no Estádio Municipal Edelfrides Palhares da Costa “Miau”, a soberana oportunidade de igualar o 1º de Agosto na liderança do campeonato nacional caso ganhe  o 1º de Maio.

A tradição dos bons resultados nos embates extramuros com os proletários pode a ajudar a mudar a sorte dos tricolores no campeonato nacional e esquecer o mau arranque de época, que atrasou em demasia a equipa do Catetão na corrida ao título.

Contudo, esta é uma lembrança do passado porque os pupilos de Bianchi agora aceleraram e estão confiantes nesta segunda volta do campeonato. O plantel tem jogado com a chama acesa durante os 90 minutos e, é possível que não voltem a ter tão cedo uma nova chance de chegar ao topo da classificação, mesmo à condição.

A deslocação à Benguela é para o Petro de Luanda confirmar em definitivo que sabe que chegou a tal hora da verdade, que num passado recente colocava os adversários em sentido.

O 1º de Maio está aflito, a estrela do histórico clube de Benguela deixou de reluzir, motivo por que agora joga de calculadora na mão para evitar uma nova descida de divisão. Os proletários preferiam enfrentar um adversário menos competitivo nesta fase, mas só lhes resta usar todas as suas armas para contornar o que parece ser uma derrota certa.

As duas equipas entram em campo com a mesma obrigação de vencer. Os donos de casa querem reacender a esperança da permanência, enquanto os tricolores pretendem disputar a questão do título até ao fim da prova.

A pressão de vencer até certo ponto pode estorvar o desempenho dos contendores, mas quem tiver mais sangue frio vai aumentar a oportunidade de cumprir a meta que traçou para esta jornada.

O Petro de Luanda está competitivo, recomenda-se e vai ao Municipal cheio de motivação e confiante pela excelente fase em que se encontra. Um regresso a Luanda sem vitória vai deitar por terra toda a boa recuperação que tem efectuado, por isso, o jogo com o 1º de Maio é para ganhar ou ganhar.

A formação orientada por Hélder Teixeira tem menos plantel do que o conjunto de Beto Bianchi, mas isto de modo algum significa que não pode vencer. Os proletários não precisam intimidar-se por entrarem em campo desvalorizados ante o poderio dos visistantes.

Se forem audaciosos até podem aproveitar a falta de cotação para voltar a derrotar em casa os tricolores, um hábito que o Maio já tentou criar neste século nos 2 triunfos que alcançou, que se juntaram ao outro obtido em 1990, mas este foi obtido por falta de comparência, a única da história tricolor no campeonato angolano.


HÉLDER TEIXEIRA
"Não temos medo do Petro de Luanda"


O técnico do Estrela Clube 1º de Maio de Benguela, garantiu que a sua equipa está preparada para receber e vencer esta tarde, às 15h00’, no Estádio Municipal Edelfride Palhares da Costa “Miau”, o Petro de Luanda para continuarem a sonhar na manutenção no GirabolaZap2016.

Hélder Teixeira afirmou que os proletário trabalharam com o objectivo de pontuarem esta tarde e relançarem a fuga da zona de despromoção. Para o jogo que marca a abertura da jornada, o treinador da equipa da Rua Domingos do Ò reconhece o potencial dos tricolores, mas não atira a toalha ao tapete.

 “A minha equipa está preparada para as intempéries que podem surgir em campo. Trabalhámos com afinco a pensar neste jogo já que o Petro, como todo os outros, é um adversário a respeitar, até porque é só o mais titulado do Girabola”, salientou.

O treinador advertiu que os petrolíferos vêem a terra das acácias com objectivo bem definido. "A equipa vem a Benguela disposto a vincar o seu nome, mas nem, por isso, nos melindramos, pelo contrário, a equipa está bem e a disposição é notória, o que garante a prontidão para o jogo e, quiçá, vencer”, realçou. O técnico assegurou que a derrota sofrida na jornada passada frente ao ASA (0-3), faz parte do passado, pelo que serviu de análise para a empreitada desta sexta-feira. No seu entender, os erros cometidos nesse jogo foram debelados e tudo aponta que diante dos petrolíferos, a prestação da equipa venha ser melhor. Revelou que conta com todos os elementos do plantel para este embate.

“A grande dúvida reside no nosso guarda-redes, Lokwa que fracturou um dos dedos da sua mão. Felizmente, a alternativa não nos falta. Temos dois bons guarda-redes e qualquer um deles poderá ser chamado a ocupar a vaga, aliás, nos últimos jogos já não tem jogado, o que explica tudo”, acentuou. Hélder Teixeira assume que os proletários apostaram forte tudo para o desafio desta sexta-feira à tarde, pelo que apenas a vitória interessa, já que continuam a sonhar na manutenção.

De resto, este é o pensamento no seio de todo o colectivo dos proletário que apostam na união para vencerem, apesar do poderio do adversário. Contudo, acredita nos três pontos e a incumbência recairá aos préstimos de Leo (à baliza); Abegá, Dino, Tobias e Muenho (à defesa); Eliseu, Bugo Jazz, Jamba e Márcio Luvambo (ao meio-campo); Filipe e Lelas (ao ataque).
 Júlio Gaiano, em Benguela


TÉCNICO
"Este é o jogo
mais complicado"


Beto Bianchi acredita, piamente, que o jogo desta tarde, frente ao 1º de Maio de Benguela, será muito mais difícil em relação aos demais a serem enfrentados pela equipa nas próximas jornadas. O treinador do Petro de Luanda justifica a afirmação com o facto dos proletários encontrarem-se numa posição aflita na tabela de classificação, em risco de despromoção.

"Acho que vai ser um jogo mais difícil e muito complicado em relação aos outros que temos pela frente, sobretudo pela situação que se encontra o adversário na classificação", disse o responsável técnico dos tricolores.

"Vamos jogar também num campo complicado e sabemos que as condições não são boas. Este jogo para nós será muito difícil e uma autêntica final. Se ganharmos daremos um passo importante", acrescentou Beto Bianchi.

Destacou, por outro lado, os níveis de motivação que domina o ambiente de trabalho e o subconsciente dos jogadores. O brasileiro fala, por isso, em "motivação especial", apesar de assegurar que o grupo mantém como objectivo principal a manutenção do terceiro lugar do campeonato.

"O nosso objectivo é manter a terceira posição, mas logicamente que vamos com a intenção de vencer os nossos jogos", afiançou o treinador.
 PC

PETRO DE LUANDA
Bianchi aposta num onze ofensivo


O técnico do Petro de Luanda não deverá mexer na equipa que na jornada passada vergou o Desportivo da Huíla, no Estádio 11 de Novembro. Beto Bianchi deve apostar no mesmo "onze", com objectivo de ultrapassarem os proletários.

Num claro reforço à velha máxima que sobrevive no futebol, segundo a qual na "equipa de ganha não se mexe", o treinador brasileiro pode voltar a depositar confiança nos mesmos jogadores que estiveram no centro da vitória muito bem conseguida no jogo diante dos diamantíferos.

A alimentar a esperança do treinador brasileiro e a confiança do grupo na repetição do feito alcançado na recepção aos militares da Região Sul, está o facto de a equipa ter conseguido aliar o triunfo a uma excelente exibição, que os permitiu alcançar o Libolo na segunda posição, com igual número de pontos (45), e a três pontos do líder 1º de Agosto. 

Embalando nesta visão, o Petro deve jogar com Gerson à baliza, devendo o guarda-redes contar com os apoios de Wilson e Elío no centro da defesa, enquanto nas laterais Mira, à direita, e Ari, à esquerda, completam o quarteto defensivo.

Beto Bianchi deve povoar o seu meio-campo com cinco jogadores com características ofensivas, nomeadamente Diógenes, Carlinhos, Herenilson, Balacai e Job. Tiago Azulão será a unidade mais avançada da estrutura ofensiva dos tricolores, assente num clássico 4X5X1, desdobrável em 4X3X3, sempre que a equipa estiver em posse da bola.

Espreitam igualmente a titularidade caso o técnico decida mexer no onze, o avançado Fabrício e os médios Mabiná e Chará, suplentes utilizados na jornada passada. Em dúvida para este jogo, permanece o lateral Miguel, que pode voltar a falhar os convocados.

A equipa do Petro segue viagem para Benguela nas primeiras horas desta sexta-feira, após o pequeno almoço.
PAULO CACULO