Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Petro sem alma para encetar fuga

Betumeleano Ferro - 10 de Julho, 2018

Tricolores cederam pontos diante dos lees do Norte levam escassa vantagem sobre rival militar

Fotografia: Santos Pedro| Edies Novembro

A alma de campeão, do Petro de Luanda, voltou a não aparecer na 22ª jornada do Girabola Zap 2018. Os tricolores desperdiçaram, mais uma vez, neste turno do campeonato, a chance de acelerarem na liderança do campeonato. Sem a sombra do campeão e rival, 1º de Agosto, forçado a descansar por desistência do JGM do Huambo, o Petro foi ao enclave marcar passo, com o empate a uma bola com o Sporting, motivo por que ganhou um mísero ponto, sobre os militares.
O desperdício de dois pontos extramuros, é capaz de ser penalizador para os tricolores, que na próxima jornada tem a sua vez de folgar, têm de torcer para que o intermitente Recreativo do Libolo prolongue o sofrimento do 1º de Agosto, no 11 de Novembro. Se o campeão despertar com a \"generosidade\" do Petro, então, é ponto assente que vai ocorrer nova ultrapassagem na liderança.
Ao empatar extramuros, o Petro de Luanda pode provocar um estrago maior, deve  perder a oportunidade de partilhar a liderança do campeonato. A bem da verdade, se  vencesse, os tricolores folgavam tranquilos, porque mesmo que o 1º de Agosto somasse três pontos no jogo com o Libolo, nada de significativo podia acontecer, podia  manter-se a bicefalia, agora, os militares podem recuperar algum fôlego e fugir para dois pontos de vantagem.
Até ao jogo 1º de Agosto - Libolo (amanhã à tarde no 11 de Novembro) vão ser muitos os cenários que a serem pintados, a grande consolação dos tricolores é que mesmo sem jogar, chegam à jornada 23 como líderes do campeonato, com 40 pontos, o pontito de vantagem ainda é capaz de atrapalhar os militares, pois, para anulá-lo têm de no mínimo empatar com os libolenses.
A segunda volta do campeonato está prestes a atingir a metade, a prestação do Petro de Luanda é de longe superior a do 1º de Agosto, embora, sem muitos efeitos na classificação. Por exemplo, se fôr para comparar o desempenho dos rivais, dá para ver que os tricolores  fizeram 13 pontos, 3 vitórias e 4 empates, enquanto os militares fizeram 8, fruto de uma vitória e 5 empates.
A tendência actual, está mais para a alternância do que para à fuga, quando a segunda volta começou, o 1º de Agosto tinha quatro pontos de vantagem, mas contra às expectativas começou a cultivar uma relação especial com os empates, como fica evidente, pelo desperdício de pontos que  protagoniza nesta etapa decisiva, o campeão já deitou fora 10 pontos.
Os rivais estão ansiosos e intermitentes na corrida pelo título, há poucos motivos para esperarem que um deles encetem  a fuga espectacular, realmente, quer 1º de Agosto, quer Petro de Luanda,  tiveram oportunidades para acelerarem o passo, mas acabam sempre por fracassar quando aparentam estar com a mão na massa.
A segunda volta, está a ser de pesadelo para os adeptos das duas equipas, com ou sem a sombra do rival, nada de especial muda, nem a motivação das vitórias sobre o Kabuscorp serviu de incentivo para prolongar o estado de graça, pelo que a alternância no comando do campeonato vai ser uma das grandes atracções dum duelo, que está a dar motivos de queixas dos adeptos, pois, as duas equipas parecem terem medo de terminar em primeiro.