Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Petro supera Domant

24 de Setembro, 2015

Avanado tricolor fez

Fotografia: Santos Pedro

O jejum que Jiresse protagonizava desde que se transferiu do Sporting de Cabinda para o Petro de Luanda, em Junho último, na reabertura do mercado de transferências, terminou ontem. O avançado tricolor descarregou toda fúria ao Domant FC do Bengo, fez um "hat trick", no jogo que qualificou a equipa de Grasseli para as meias-finais da Taça de Angola.

Com os dois pés praticamente de regresso à Segunda Divisão, o Domant FC procurou fazer do jogo de ontem, no 11 de Novembro, o trampolim para salvação da época. Contudo, não teve estofo suficiente para aguentar a passada do Petro, a julgar pela sua experiência nessas andanças, e nem mesmo quando  Devigor, aos 67´, reduziu a desvantagem, mostraram que seriam capazes para afastar o adversário da competição.

Com uma equipa bastante humilde, o Domant apareceu bastante limitada no capítulo táctico e técnico, enquanto o adversário, com um grupo bem compacto e unido, já que todos os jogadores sabiam qual era a importância do jogo. Uma partida que poderia dar alegria e deu aos seus adeptos que muito sofreram com a equipa, sobretudo nesta fase terminal da época.

Numa partida morna, com o estádio quase vazio, as duas equipas entraram determinantes para chegar cedo à baliza adversária, mas foi o Petro mais atrevido que por intermédio de Duarte, aos 2´, mandou para o fundo das malhas da baliza defendida por Alex, prontamente invalidado pelo árbitro Pedro dos Santos que assinalou fora-de- jogo do jogador tricolor.

À passagem do minuto 10´, Cabibi 1 e Messi fizeram uma jogada bem combinada a partir do meio campo do Petro, levando a bola até à grande área, mas Devigor finalizou mal de cabeça, pois o esférico passou rentinho ao poste esquerdo da baliza defendida por Lamá, criando calafrio aos poucos adeptos dos tricolores no local.

Sem grandes emoções nos primeiros minutos da contenda , as equipas procuravam acertar as agulhas mas com falhanços atrás de falhanços. Jiresse, aos 15´,  assistido por Duarte falhou uma soberba oportunidade de fazer o seu primeiro golo da tarde, até mesmo da sua conta pessoal, a julgar pela seca que passava desde a sua contratação no início da segunda volta.

Sem exagero, o Petro até aos 20´, poderia ter obtido um resultado que fizesse sorrir os seu adeptos, não fosse os grandes falhanços de Jiresse, Job e Duarte, numa altura em que o adversário parecia ter as pernas amputadas. O grande momento do jogo aconteceu aos 20, num cruzamento de Mateus, do lado direito e Jiresse sem qualquer falha mandou de cabeça para o lado superior direito sem qualquer hipótese de defesa para o guarda-redes do Domant.

O Domant não cruzou os braços e foi atrás do prejuízo, criando algumas oportunidades, mas todas as sua investidas eram anuladas pela defesa petrolífera.Com tudo a seu favor e com possibilidade de marcar mais golos, à passagem do minuto 39´, o congolês democrático fez o bis, depois de nova assistência de Mateus. O tricolor não hesitou e colocou a bola para dentro das malhas.
No regresso ao relvado, a equipa do Bengo, entrou mais agressiva na tentativa de fazer pelo menos o golo de honra, mas a rapaziada de Alexandre Grasseli, bastante atenta, invalidava todas as pretensões do adversário.
Duarte, Mabiná e Mateus levavam ao delírio o público presente, assim como Job. Aqui o público tricolor não parava de apoiar a sua equipa, apesar do número bastante reduzido.
Aos 57', Ariclenes assistido por Mabiná por pouco fazia história na partida, mas não fez melhor do que mandar a bola de cabeça para cima da baliza.
Quando já se pensava que o Domant passeava em campo, Aos 67´, nunca jogada bem construída, Devigor, à entrada da grande aérea, não teve qualquer impedimento e reduziu a desvantagem para 2-1. O experiente guarda-redes Lamá ficou a ver navio.
Aos 70´,  o público tricolor reclamou de um penálti, quando Alex, numa embrulhada com Job e Duarte, a bola foi à sua mão, mas o árbitro entendeu (e bem) nada assinalar. A partir deste momento a equipa do Bengo acordou e passou a jogar de igual para igual, tanto no ataque, como na defesa.
O terceiro golo do Petro, novamente por Jiresse, aconteceu nos minutos finais da contenda, quando Francis, que acabava de entrar para o lugar de Job, tirou do caminho um contrário e na sequência da jogada um outro jogador da equipa do Bengo travou a bola com a mão dentro da grande área.
Jiresse, autor dos primeiros dois golos, foi chamado a cobrar e fê-lo da melhor forma,   . mas o árbitro invalidou alegando alguma irregularidade. A segunda foi de vez e colocou a sua equipa na fase seguinte da Taça de Angola.

ARBITRAGEM

A equipa de arbitragem chefiada pelo Pedro dos Santos esteve bem no jogo. Controlou o jogo de princípio ao fim e não deixou máculas na partida, apesar de um ou outro erro, próprio do trabalho que desenvolveu. Tanto ele, como os seus auxiliares, tiveram um trabalho digno de realce, embora tenha deixado passar alguns lances. Por aquilo que vez, não teve influencia no desfecho final.

DECLARAÇÕES
Alexandre Grasseli
(Petro)

“Temos de manter a postura”


"É importante quando se consegue um bom resultado. Temos um grupo capaz, aliás como tenho dito ao longo da época esta equipa tem capacidade de fazer sempre mais e melhor.  Agora temos que pensar nos próximos jogos, mas o nosso objectivo é manter a mesma postura e procurar sempre os caminhos para chegar ao golo"

DECLARAÇÕES
Manuel Oliveira
( Domant FC)

“Dois erros
ditaram desfecho”


"Foi um bom jogo de facto. Sofremos dois golos no primeiro tempo, na sequência de dois erros que foram fatais. Na etapa complementar procuramos equilibrar a partida, mas tivemos a pouca sorte de sofrermos uma grande penalidade, o Petro ampliou o marcador e as coisas tornaram-se mais complicadas".