Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Petro tenta nova vida no acerto de calendrio

Betumeleano Ferro - 08 de Abril, 2019

Tricolores obrigados a vencerem os libolenses quarta-feira no 11 de Novembro

Fotografia: M.machangongo

A precisar de todos os pontos possíveis para manter acesa a esperança do título, o Petro de Luanda tem de inverter na quarta-feira, 10, com início às 16h00, no estádio 11 de Novembro, a tendência de desperdiçar pontos no acerto do calendário, desta feita o jogo é a contar para a décima sexta ronda. Além do que aparenta ser uma fraqueza actual, perder pontos nos jogos em atraso, os tricolores ainda vão ter de fazer pela vida para conseguir a nota máxima ante o Recreativo do Libolo, há muito um adversário indesejável em Luanda.

O lugar comum  "contra factos não há argumentos " também aplica-se ao Petro de Luanda nos jogos de acerto ao calendário, realmente com um pouco mais de eficácia competitiva a classificação e a pontuação dos tricolores seria muito melhor, a esta hora seria possível pensar em mais do que morder os calcanhares do 1º de Agosto. A realidade está longe de ser a ideal para o Petro e seus adeptos, mas é chegada a hora da equipa de Toni Cosano provar, que ainda é merecedora de confiança e do benefício da dúvida.

Os tricolores estão a tentar se apegar a tudo para continuar a acreditar, realmente é condição indispensável vencer e aguardar, para ver se as contas finais dão certo ou nada. Quanto mais cultivar o hábito de ganhar, mais o Petro de Luanda vai ter motivos de continuar a correr para chegar ao objectivo supremo, enquanto a matemática servir de alento, a luta vai continuar.

Sem muitos motivos para sorrir nas últimas semanas, o Petro de Luanda bem que gostaria de experimentar as mesmas sensações, por que passou o rival 1º de Agosto diante do Libolo. As chances de obter uma vitória rápida são escassas, mas como em tempos de aperto a crença é sempre maior, os tricolores vão tentar fazer a sua parte, para ver se no final são ou não tão recompensados como o rival.

As lembranças dos embates caseiros com os libolenses nem sempre provocam mais receio do que confiança, porém, a fase actual exige que os tricolores mostrem tudo quanto valem, têm de provar com atitude competitiva que ainda merecem manter o lugar no comboio do título.

A tradição também deixou de ter peso nas deslocações extramuros do Recreativo do Libolo, vencer em Luanda deixou de ser hábito, mas a última humilhação sofrida no 11 de Novembro deixou marcas profundas, que vão tentar ser apagadas, se possível com triunfo sobre o Petro. Os possíveis 3 pontos podem afogar a magoa dos libolenses, porque vão fazer com que o maior do 1º de Agosto fique mais atrasado na corrida pelo título, é este o alvo que vai valer a pena.

O Recreativo do Libolo está a fazer um campeonato cheio de muita intermitência, ainda assim, tem sabido reagir muito bem as adversidades que lhe impediram desde muito cedo, quase antes da metade da primeira volta, de manter o estatuto de grande. A equipa de Calulo conseguiu remar contra a maré, fez coisas boas, é verdade, mas a pesada derrota contra o 1º de Agosto coloca o Libolo na obrigação de abater um grande, para aumentar sua auto-estima.

Todo o foco, toda a pressão está com o Petro de Luanda, esta temporada está a ser muito exigente em termos emocionais para os tricolores, a enorme cobrança vem de todos os lados, motivo por que nem sempre a equipa consegue dar todas as respostas desejadas. Se for igual ao mesmo de antes, é bem possível que os tricolores consigam fazer algo satisfatório, para obter o resultado desejável para sair com a candidatura reforçada.