Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Pintar valoriza conquista militar

Sergio V. Dias-Cuito - 31 de Outubro, 2016

.O ASA, de acordo com treinador do FC Bravos do Maquis,

Fotografia: Jornal dos Desportos

Depois de passar incólume pelo Atlético Sport Aviação (ASA), no sábado, com vitória de 3-0, e consequentemente sagrar-se campeão do Girabola Zap, o 1º de Agosto marca a diferença esta época na maior prova do nosso “association”. A constatação é do treinador João Pintar da Silva, do FC Bravos do Maquis, que justifica que a conquista da turma do “rio seco” não sofre qualquer contestação.

O homem que devolveu os maquisardes à primeira divisão, considerou “ renhido” o campeonato, quer na discussão do título, como na luta para se conhecer a última equipa a despromover.Ainda assim, João Pintar da Silva esperava que a decisão se arrastasse, tal como na época passada, até à última jornada, em que o Petro de Luanda e o 1º de Agosto se defrontam no clássico dos clássicos do futebol nacional.

“Esperava que tudo fosse decidido na última jornada, mas temos de dar mérito ao 1º de Agosto, pela regularidade e excelente campeonato que fez neste Girabola, que se consolidou com a vitória de 3-0 sobre o ASA, e que permitiu chegar ao título por antecipação”, disse.De acordo com o técnico do FC Bravos do Maquis, que ascendeu novamente ao Campeonato Nacional de Futebol da Primeira Divisão, depois de ter sido despromovido em 2015, “agora resta confirmar se o Libolo vai ter pernas para tirar o segundo lugar ao Petro”.

“O Libolo tem a obrigação de vencer o Desportivo da Huíla (CDH), no reduto deste, e esperar que o Petro tropece diante do campeão 1º de Agosto. A equipa tricolor, por sua vez, já sem nada a perder, vai contrariar o D´Agosto na última jornada”, disse.Daí, como acrescenta João Pintar da Silva, “tudo fica em aberto em relação a essa discussão”, assim como na luta pela fuga à despromoção, em que 4 de Abril do Cuando Cubango, Académica do Lobito e ASA são os candidatos à descida.

Nesse sentido, João Pintar da Silva refere que o ASA, que curiosamente recebe o 4 de Abril, é a equipa que está mais acossada pelo espectro da despromoção.O ASA, de acordo com treinador do FC Bravos do Maquis, “terá uma missão espinhosa, já que o 4 de Abril, actualmente com 31 pontos, mais um que a turma aviadora, jogará disposto a contrariar os intentos desta”.