Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Polícias consentem primeira derrota em casa

Val?dia Kambata - 04 de Setembro, 2017

Determinação do grupo ditou desfecho positivo para as hostes da equipa aviadora

Fotografia: José Soares| Edições Novembro

O ASA fez ontem das dificuldades e adversidades forças para vencer e infringir esta época a primeira derrota ao Interclube no seu estádio. A vitória aviadora foi corolário da determinação de um grupo que, apesar das limitações que enfrentam tiveram ânimo para dignificarem e honrarem a camisola do clube que representam.

A equipa orientada por Paulo Saraiva foi ao 22 de Junho despido de qualquer temor dos polícias  que vinham de uma excelente exibição e um resultado motivador na recepção ao Petro de Luanda, em jogo de atraso. Talvez a ressentir do esforço despendido a meio da semana, de forma assumida a equipa de Paulo Torres terá desprezado o seu oponente, fazendo a bola correr, controlando o adversário, mas sem o ímpeto que lhe permitisse visar a baliza dos visitantes.

Depois de jogo extraordinário na quarta-feira tudo indicava que os polícias iriam derrotar os aviadores por uma margem de golos bastante elevado, a julgar pela greve que assolou a equipa do aeroporto esta semana. A jogar em casa o Interclube rapidamente assumiu o controlo no intuito de marcar logo nos primeiros minutos de jogo.  Foi assim que aos 10\' criou a primeira grande situação de golo com Moco a entrada da pequena área rematar por cima do travessão.

Volvidos dois minutos voltam a criar mais uma situação de perigo desta feita por Mano Calesso isolado frente ao guarda-redes a rematar para fora. Com mais argumentos técnicos os polícias mandavam no jogo diante de um adversário que ressentia da falta de treinos.

Aos 27\' o Interclube desperdiça mais uma oportunidade de adiantar-se no marcador. Duarte na marcação de uma grande penalidade, a castigar uma falta sobre Filipe rasteirado dentro da área, não conseguiu bater o \"keeper\" Magueti. Motivados com a falha do adversário os aviadores ganharam confiança e passaram a chegar mais vezes a zona de conforto dos polícias sem, no entanto, criarem qualquer perigo à baliza defendida por Neblu.

Na etapa complementar a equipa da casa manteve o domínio do jogo não dando qualquer espaços ao adversário. No entanto, um balde de água fria gela o estádio, quando numa jogada rápida de contra-ataque os aviadores chegam ao golo por intermédio de Yawo, que teve tempo de passar por Neblu e atirar a bola para o fundo da baliza.

Em desvantagens, Paulo Torres, procurou dar maior dinamismo ao ataque fazendo entrar Richard e Dasfaa para os  lugares de Moco e Mano Calesso. Na resposta Paulo Saraiva, mandou a equipa recuar no terreno do jogo procurando sair apenas em jogadas rápidas.
O plano do técnico dos aviadores quase faliu quando viu o autor do golo a ser expulso por acumulação de cartões amarelos.

Porém, a falta de calma dos atacantes dos polícias facilitou a conquista dos três pontos do ASA, que entrou em campo com muita humildade. A equipa de arbitragem liderada por Romualdo Baltazaar não teve qualquer interferência no resultado final, embora em alguns situações do jogo demonstrou um certo descontrole.

DECLARAÇÔES
“Não existem
jogos fáceis”


"Foi um jogo que tudo fizemos para conquistar os três pontos, mas tal como tenho dito não há jogo fácies neste campeonato e hoje ficou provado isso. Criamos várias situações para marcar e não conseguimos. Tivemos uma grande penalidade mais também falhamos. Vamos continuar a trabalhar e tenho de dar os parabéns ao ASA, pois, fez um bom jogo que peca por poucos golos já que falhamos muito."

Paulo Torres
Interclube


“Fomos justos
vencedores”


" Ao longo da semana tivemos muita contrariedade, ainda assim, fomos os justo vencedores apesar das diversas situações que vivemos e por tudo que nos fizeram. Neste campeonato já perdemos 18 pontos só com situações da arbitragem. Eu tenho que falar e não posso morrer sem falar sobre isso. O que fizeram hoje no ASA não se faz"

João Pereira (Jamba)
ASA