Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Polcias querem vencer aviadores

Valdia kambata - 16 de Março, 2019

Interclube perdeu os dois ltimos jogos e quer regressar s vitrias hoje diante do ASA

Fotografia: Santos Pedro, Edies Novembro

O treinador do Interclube, Bruno Ribeiro, tem noção que o jogo de hoje, às 15h30, no 22 de Junho, diante do ASA, não será fácil, pois os aviadores vêm de uma derrota na jornada passada, ante o Kabuscorp do Palanca, e por isso acreditam que tudo vão fazer, para apagar a má imagem que apresentam no campeonato. 
 \"Vimos o ASA jogar, é uma boa equipa e com jogadores excelentes. Por isso, temos a certeza que não vai ser um jogo fácil, pois eles vêm de uma derrota na jornada passada e vão querer melhorar a sua prestação nesta jornada, o que torna este jogo bastante difícil\", salientou. 
 Embora assuma que o jogo de hoje vai bastante difícil, o responsável técnico dos polícias acredita na conquista dos três pontos.  \"Como sempre, a nossa filosofia é tentar vencer todos os jogos, fora ou em casa.
 Preparámos a nossa equipa táctica  e tecnicamente, para este embate e tenho a certeza que vamos para este encontro com muita cuidado, mas com certeza da vitória\", disse. 
  A equipa trabalhou muito a vertente atacante. Isso deixa entender, que o Interclube pretende marcar muitos golos e vencer o jogo. Essa vontade foi demonstrada na sessão de ontem, em que o treinador insistiu no ataque combinado e com remates de longa distância. O Interclube há dois jogos que não vence - perdeu diante do Desportivo da Huíla (1-0)  e Cuando  do Cubango FC ( 2-1). Por isso, de acordo com Bruno Ribeiro, é hora de dar a volta a situação.
  \"É complicado perder dois jogos seguidos. O primeiro por falta de atitude dos nossos jogadores. Já no jogo com o Desportivo da Huíla, entrámos bem, apresentámos bom futebol, criámos cinco ou seis oportunidades de golos, mas não conseguimos marcar.
O adversário aproveitou a única oportunidade e marcou de bola parada.
Agora temos que dar a volta, temos um bom grupo, com jogadores extraordinários, que já apresentam um futebol com qualidade, particularmente neste ultimo jogo, onde houve mais empenho e dedicação\", disse.O estado anímico dos polícias é elevado, a julgar por aquilo que nos foi dado a ver ontem de manhã, no campo 22 de Junho, onde preparam o embate com os aviadores.  Bruno Ribeiro pode começar o jogo com o seguinte \"onze\": Landu; Carlitos, Valdez, Edson e Lomalissa; Pirolito ou Ito, Silva, Paty e Dasfaa; Mano Calesso e Modeste ou Kaporal.

HOJE À TARDE
José Dinis quer pontuar no 22 de Junho
O pouco tempo de trabalho que a equipa do ASA tem, em face a greve que os jogadores observaram durante 30 dias, e que se tem reflectido no comportamento do grupo em campo, poderá não ser um empecilho no jogo desta tarde, a partir das 15h30, no 22 de Junho diante do Interclube, segundo o treinador José Dinis, que promete uma equipa aguerrida e disposta a pontuar.
\"Temos pouco tempo de trabalho e apesar da grande vontade que os atletas têm apresentado ao longo dos jogos, acaba esfumada, porque à dada altura a componente física dos jogadores não responde. Contudo, estamos firmes e vamos ao Rocha Pinto com uma estratégia bem montada, que passa por anular os pontos fortes do adversário e  explorar ao máximo os seus pontos fracos.
 Aliada a confiança que nutro pelos  meus jogadores, acredito que vamos pontuar, aliás, ninguém prepara uma equipa para perder por mais adversidade que ela viva\", disse.
José Dinis sublinhou que o estado anímico do grupo é razoável, visto que já fez a sua parte e espera que a direcção cumpra igualmente com a sua.
\"Temos feito tudo que está ao nosso alcance e hoje os atletas já não faltam muito por falta de dinheiro de táxi como antes, é o limite, não consigo fazer milagres. Por isso, espero  pelo complemento da direcção, para que o ASA consiga permanecer na prova\", disse.O técnico lamentou o facto de a sua equipa jogar pela segunda vez no 22 de Junho, terreno do adversário.
\"Fiquei surpreendido com isso, a primeira vez houve um acerto entre as partes com intuito de fazermos esse jogo em nossa casa, mas agora  não entendo o porquê do incumprimento, mas o que fazer, só temos de cumprir\", disse o português.  MANUEL NETO