Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Polícias escondem estratégia

Val?dia Kambata - 23 de Agosto, 2017

Interclube defronta no sábado em Saurimo o Progresso da Lunda-Sul

Fotografia: M.Machangongo

 Com todos os jogadores disponíveis, incluindo Neblu, Paty, Tó Carneiro e Baby que estiveram ao serviço da selecção nacional que no passado fim-de-semana garantiu o passe para a fase final do CHAN 2018, no Quénia, os polícias trabalham determinados para mais uma vitória no campeonato. 

O treinador Paulo Torres não deu aos jornalistas os habituais 15 minutos. Ainda assim, o Jornal dos Desportos soube que a equipa-técnica dos polícias deu grande atenção ao sector  ofensivo, como saídas em contra-ataque, remates à distância, e pontapés de canto.

  Com  isso, ficou patente que o Interclube vai entrar no confronto com o Progresso da Lunda - Sul de forma  agressiva, para  assegurar a vitória nos primeiros minutos.

Outro aspecto que o técnico português  trabalha é o psicológico, pois, segundo o mesmo, os atletas estão numa fase muito boa, mas necessitam de alguma cautela.

Quanto ao  estado anímico dos jogadores, o técnico garantiu ser bom, em função do trabalho feito ontem de manhã no campo 22 de Junho, onde preparam o embate com o Progresso de Lunda - Sul.

\"O que podemos ver neste treino (ontem) foi a grande entrega e vontade dos membros da equipa, sobretudo nas acções de ataque combinado e remates à longa distância, com os quais pretendemos marcar golos\", disse.

Para hoje, o técnico prevê já trabalhar na estratégia de jogo de sábado. Nas hostes dos polícias, o pensamento é de conquistar os três pontos. Nesta altura, impera no seio da equipa a vontade de alcançar melhores resultados e subir mais alguns degraus na tabela classificativa para não se distanciar dos cinco primeiros colocados do Campeonato Nacional da Primeira Divisão, nomeadamente, 1º de Agosto, Petro de Luanda, Sagrada Esperança, Kabuscorp do Palanca e Recreativo do Libolo.

As falhas que se verificaram nos treinos com o Progresso Sambizanga e o Sagrada Esperança da Lunda Norte, realizados na semana.


PARAGEM  DO CAMPEONATO
Técnico do CDH lamenta falta de jogos


A falta de jogos competitivos, nos 21 dias de paragem observados no Girabola Zap 2017, desafios esses que possibilitavam manter e elevar os níveis da equipa, deixam apreensivo o técnico do Desportivo da Huíla, Mário Soares, quanto à prestação do conjunto no desafio com o 1º de Maio de Benguela, no próximo fim-de-semana, no Estádio do Ferroviário, no Lubango, para a 22ª jornada.

O técnico detalhou que a inactividade competitiva da equipa agravou-se após o cancelamento de um torneio, que devia ser disputado na província do Cunene, que ia possibilitar conferir ritmo e contribuir para a conservação dos níveis competitivos alcançados pela equipa antes da paragem.

“O facto de não conseguirmos nenhum jogo competitivo, fez com que não cumprissemos  com o planificado, que era participar num torneio no Cunene, que foi abortado pela organização”, desabafou.

A nível da província enformou, não há possibilidades de se efectuar jogos competitivos, por inexistência de equipas de alta competição, capazes de dar a réplica necessária e assim, detectar debilidades e pótenciar qualidades.

“Internamente, não houve possibilidade de fazer jogos competitivos. Conseguimos um contra um misto que não deu a réplica necessária, nem tão próximo disso. Foi mais um treino perdido”, considerou.

Para minimizar os efeitos negativos da ausência de competição, Mário Soares e seus coadjutores apostaram em treinos baseados em volumes de alta intensidade. O técnico principal assegurou, que apesar de tudo, foi possível corrigir alguns aspectos tácticos e consolidar o que a equipa já tem feito bem.

“Trabalhamos num regime completamente intensivo, com intensidade alta, com 100 por cento de volume. Aproveitamos cada treino e creio que mesmo assim, mantivemos os níveis e corrigimos alguns aspectos tácticos  consolidando o que temos feito bem. Foram treinos curtos, mas muito intensivos”, descreveu.

Mário Soares considerou difícil motivar a equipa na ausência de jogos, mas enalteceu, ainda assim,  a entrega dos jogadores nas sessões de treino. Acrescentou que ficou evidente o comprometimento dos atletas com os objectivos do clube.
BENIGNO NARCISO | LUBANGO