Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Porcelana foge da ltima posio

Isidoro Natalcio, em Ndalatando - 24 de Julho, 2016

Grmio do Cazengo derrota proletrios com golo solitrio de Armando

Fotografia: Jornal dos Desportos

Na primeira parte que terminou empatada a zero bola foi evidente maior domínio do Porcelana que fazia rolar a bola sobretudo na religião central do terreno. Carlos Nzunzi e Armando, pelos donos de casa, faziam jogar a equipa, foram cautelosos a receber a bola do sector recuado e tentavam municiar o ataque.

Contudo, as jogadas no Porcelana morriam geralmente ao meio do meio defendido pelo 1º de Maio. A equipa de Benguela defendia-se bem, pressionando o homem com bola e procurava jogar em contra-ataque à base de passes em profundidade, sobretudo do lado direito como atacava.

Foi exactamente nessa toada que aos 28 minutos, a equipa do Cuanza Norte protagonizou a maior oportunidade quando na sequência de uma jogada rápida dentro da grande, Felipe rematou para a defesa do guarda-redes Carlos.

Durante a primeira parte o técnico Hélder Teixeira teve a primeira contrariedade ao tirar Bugo por lesão, substituído por Yeye.

O nítido ascendente do 1º de Maio começou à entrada do minuto 35, através de passes em profundidade que terminavam em cruzamentos, porém, sem qualquer perigo para a baliza contrária. Os 45 minutos iniciais terminaram em equilíbrio.

A segunda parte arrancou com as duas equipas a praticarem futebol semelhante, ou seja, passes longos, fazendo do meio campo zona de transição e enormes cautelas para não sofrer golos. Assim os avançados estavam sempre desapoiados no meio de vários defensores. Havia emprego, dedicação e força mas, faltava qualidade nos passes, pouca desmarcação, rasgos individuais e quase ninguém rematava para a baliza.

 Nesse período de jogo o técnico do Porcelana, Sarmento Seke, coloca em campo Cabibi, Bengui e Careca para os lugares de Garcia, Tino e Quim, mas a dinâmica do jogo não muda.

O árbitro Feliciano Lucas, auxiliado por Nicodemos Calembela e Alexandre Beque, realizou um trabalho medíocre. Deixou de assinalar várias faltas, assim como marcou mal outras. Escusou-se a marcar um penálti quando o guarda-redes do 1º de Maio "carregou" dentro da grande área um dianteiro contrário.