Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Porcelana pode conhecer companheiros na descida

Betumeleano Ferrão - 23 de Outubro, 2016

A realização em simultâneo da jornada 28 também vai aquecer o campeonato dos aflitos

Fotografia: José Soares

Os proletários e estudantes estão no corredor da morte. As possibilidades de ambos sobreviverem com vida são nulas por causa do jogo desta tarde. É ponto assente que nem mesmo a vitória é capaz de renovar a esperança do vencedor do dérbi benguelense, em parte porque 1º de Maio e Académica estão muito mais atrasados do que 4 de Abril, Desportivo da Huíla e ASA no campeonato da manutenção.

As contas do 1º de Maio são mais difíceis de fazer do que da Académica, mas a única certeza é que os dois contendores podem chorar e ranger os dentes se o jogo terminar empate. A bem da verdade, a igualdade é o único resultado que as duas equipas são capazes de alcançar, noutras circunstâncias ninguém ficaria cabisbaixo com o ponto somado. Todavia, o cenário actual não dá liberdade de escolha a proletários e estudantes. Afinal a aflição é a mesma para os dois lados.

As emoções prometem estar ao rubro no Municipal. Os adeptos das duas equipas vão sofrer em demasia, porque a esperança de manutenção vai morrer para uma das equipas. Se um dos contendores estivesse tranquilo na classificação seguramente sairia em socorro do vizinho. Infelizmente esta é uma possibilidade que está a agitar Benguela, porque num mesmo dia pode ficar sem Girabola ZAP em 2017.

O jogo Porcelana-Recreativo da Caála também começa às 15h30m com a única diferença de que as duas equipas entram em campo para cumprir calendário. A descida dos donos de casa é irreversível, pelo que os seus adeptos esperam apenas que os seus atletas dignifiquem a camisola até ao fim do campeonato.


OUTROS JOGOS
Evitar a despromoção
de uma vez por todas

O 4 de Abril, Desportivo da Huíla e ASA vão tentar fazer pela vida esta tarde para confirmar de uma vez por todas a permanência no Girabola ZAP.

Como todos os jogos da jornada começam a mesma hora, 15h30m, é bem possível que as equipas acima citadas se apercebam que podem se manter no campeonato, mesmo se não pontuarem na jornada.

As três equipas têm jogos muito complicados, mas uma conjugação de factores favoráveis, o maior deles uma vitória do 1º de Maio sobre a Académica, pode até fazer com que o trio formado por 4 de Abril, Desportivo e ASA faça a festa da manutenção com derrota.

O Desportivo da Huíla voltou a ser competitivo em casa e há por isso motivos para acreditar que a recepção ao Progresso da Lunda Sul é uma boa oportunidade para fechar as contas da permanência. Um empate também pode chegar para as encomendas, mas é fácil de perceber por que os militares vão apostar esta tarde no Ferrovia, diante de um adversário apenas interessado em lucrar quantos pontos forem necessários,  para terminar no "top 5" do Girabola ZAP.

A visita do 4 de Abril ao Kabuscorp é capaz de ser o jogo da vida da equipa do Cuando Cubango, a Cidadela pode ser pequena demais para a dimensão do sonho dos pupilos de João Machado na época de estreia na primeira divisão.

O Kabuscorp perdeu o comboio do título e é perdeu motivação, é bem que a aparente desmobilização dos palanquinos aumente as chances de o 4 de Abril obter um bom resultado. A equipa de Romeu Filemon é capaz de não ter digerido ainda a surpresa da primeira volta, o momento actual é pouco propício para vinganças, embora seja verdade que os adeptos vão perder a paciência, em caso de empate ou derrota.

O ASA aparenta ser a equipa que vai ter mais dificuldades de confirmar a manutenção, a recepção ao Benfica de Luanda acontece depois das águias voarem no dérbi com o Interclube. Os aviadores até podem tirar dividendos do triunfo encarnado na jornada passada, tudo pode acontecer desde que a equipa de Corola não cometa os mesmos erros que permitiram ao Petro de Luanda fazer o placar de 3-0 nos derradeiros 45 minutos.

A ambição do Libolo revalidar o ceptro caiu por terra na jornada passada, o campeão na voz do presidente Rui Campos tinha previsto uma deslocação difícil ao reduto do Sagrada Esperança, muitos dias antes do desenlace ocorrido na ronda passada. Os libolenses ficaram arredados do título e vão precisar de muita motivação para impedir que os diamantíferos se agigantem perante os seus adeptos, embora haja mais favoritismo do adversário forasteiro.