Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Porcelana renova pensar em novos dias

15 de Julho, 2016

Porcelana defrontar o Progresso do Sambizanga em jogo pontuvel para a dcima stima jornada do Girabola Zap

Fotografia: Jornal dos Desportos

O treinador  interino do Porcelana, Sarmento Seko, disse que tudo está a ser feito para a equipa sair da última posição quando defrontar o Progresso do Sambizanga em jogo pontuável para a décima sétima jornada do Girabola Zap.   

Sarmento Sek disse que a semana de trabalho, iniciada em Luanda e terminada em N’Dalatando, correu bem e, por isso, os seus rapazes estão prontos para receberem no campo Fernando Diniz em N’Dalatando o Progresso.  Disse que a única contrariedade é a lesão do médio Carlos que estará ausente dos convocados, pelo que conta com o atleta para a próxima partida frente ao Desportivo da Huíla. 

O Porcelana tem dez novos jogadores em substituição também de igual número que abandonaram a equipa face aos atrasos no pagamento de salários. No Sagrada Esperança, o Porcelana foi buscar o guarda-redes Carlos, o central Sete e o ponta de lança Miguel. Do Inter de Luanda vieram o defesa Cristiano, os médios ofensivos Tino e Cabibi.

Os outros reforços são o guarda-redes Jesus (ex-Domant do Bengo), médio ala Dani (ex-ASA) e o médio ofensivo Garcia, cujo anterior club não foi revelado. Saíram do Porcelana Viola e Rasca (avançados), Tsherry e Feliciano (guarda-redes), Pik, Beto e Chico Caputo (defesas), Bugo e Alexandre (médios) por alegada falta de condições. A esse respeito o timoneiro Sarmento Sek disse que o ataque faz parte das prioridades, por isso contratou-se Miguel e Tino que se juntam A pedro Henrique e Careca.

“Vamos trabalhar com eles para ver se a equipa começa a marcar golos, não será fácil. Temos pouco tempo para incluir positivamente esses jogadores, mas estamos a trabalhar dentro do possível. Vamos ver o que vai dar”, disse Sarmento Sek, para o qual o ataque faz parte das prioridades, razão por que foi contratado Miguel e Tino, que se juntam a Pedro Henrique e Careca. Em 15 jogos da primeira volta o Porcelana marcou oito golos, em média meio golo em cada partida, números que evidenciam a ineficácia do sector ofensivo.