Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Pr-poca movimenta mercado

Val?dia Kambata - 03 de Janeiro, 2017

Lista de jogadores contratados e dispensados conhecida amanh

Fotografia: Dombele Bernardo

A direcção do Interclube apresenta amanhã às 09h00, na sua sede social, o plantel principal de futebol para a temporada de 2017 que vai disputar o Campeonato Nacional da Primeira Divisão (Girabola Zap), e a Taça de Angola.

Para a nova época, os polícias apostam no núcleo de jogadores que nos últimos três anos constituem a base principal  da equipa, assim como alguns reforços dos quais se destacam os promovidos ao escalão de seniores.

A apostar em jogadores com muita experiência, a direcção técnica do Interclube pretende salvaguardar os objectivos traçados para a época desportiva de 2017, que passa pela conquista do campeonato nacional.

Depois da apresentação  do plantel e da divulgação da lista de dispensados, os atletas realizam os habituais exames médicos antes do início dos trabalhos, e melhoria da condição física. A recuperação do grupo devido aos efeitos do defeso vai dominar a primeira fase da preparação, ao que se seguem sessões tácticas e técnicas diárias, com repouso no sábado à tarde e no domingo.

Os policias  pretendem recuperar o prestígio  no Girabola Zap, depois de  na última temporada ficarem classificados em 7º  lugar com 41 pontos, fruto de 11 vitórias, oito empates e 11 derrotas, a pior classificação dos  últimos cinco anos.

O Jornal dos Desportos apurou de uma fonte do clube da Polícia, que a equipa pode realizar o estágio de pré-época com a duração de  quatro semanas na província de Benguela, a partir  do dia 8 do mês em curso. 

A cidade de Benguela foi a opção, segundo a mesma fonte, e tem  a ver com a actual situação  financeira que o País atravessa, estão assegurados vários  jogos de controlo  com equipas  locais, tal como  com outras que possam estar em estágio também naquela cidade.

O plantel do Interclube para a próxima temporada, salvo excepções, vai ser constituído pelos seguintes jogadores: JB, Neblu e Nelson (guarda-redes); Fabrício, Valdez ,Cristiano, Filipe, Gugú, Vado Alves , Pedro  e Armando (defesas); Pirolito, Paty, Karanga, Bartolo, António, Tó Carneiro e Dasfaa (médios); Moco, Chico e Jaime Poulson (avançados).

REFORÇO
Ataque é prioridade nos polícias


A direcção do Interclube continua à procura de jogadores para preencher algumas lacunas que o plantel apresentou na época passada, principalmente no ataque, com vista fazer face às exigências da nova temporada que começa a 4 de Fevereiro, com a disputa da Supertaça entre o 1º de Agosto (campeão nacional) e o Recreativo do Libolo (vencedor da Taça de Angola).

A nova fase  que os polícias vivem na camada de formação, pode fornecer jogadores à equipa  principal de futebol, pelos menos dois ou três  atletas , estão em ascensão de categoria.

O Interclube ataca a época com nova equipa técnica. Por isso, das exigências da direcção do clube, segundo a fonte do clube, passa a formação da equipa mais competitiva que as anteriores, para lutar pela conquista do título nacional.

A conquista do título é prioridade da direcção presidida por Alves Simões na época futebolística de 2017,por trata-se de um objectivo legitimo, pois a equipa pretende jogar a Liga dos Clubes Campeões Africanos em 2018, não vence o Campeonato Nacional há seis anos. 
Outra hipótese dos polícias para regressar às competições africanas,  passa pela conquista da Taça de Angola, que a acontecer disputa no mesmo ano (2018) a Taça da Confederação.

O Interclube realizou no ano passado a pior classificação dos últimos cinco anos, em que ficou  no Girabola  em sétimo. A equipa tem no palmarés dois campeonatos ganhos, em 2017 e 2010, três Taça de Angola e igual número de Supertaças.

MÉDIOS
Paz e Kibeixa dispensados


O médio ofensivo Paz é a principal referência do grupo de atletas que não faz parte  do plantel do Interclube, para a próxima temporada futebolística. O jogador que se notabilizou no Santos FC de Angola, ingressou  na equipa  do Rocha Pinto em 2015, oriundo do Progresso do  Sambizanga. 
Durante  duas temporadas  ao serviço dos polícias, Paz esteve sempre à altura das exigências, por isso, a não renovação  do contrato deixou os adeptos surpreendidos.

Quem também  deixa o clube da Polícia é o médio - trinco Kibeixa, uma das principais  contratações do Interclube para 2016, a par do jogador Dax. A boa forma de Pirolito deu pouco espaço ao jovem médio para mostrar o seu real valor.

Do mesmo modo que Kibeixa , Mabululu também  não convenceu os responsáveis  do Interclube, e por isso, está de saída. As fracas prestações  do atleta que  em 12 jogos  marcou dois golos, foram fundamentais para a rescisão com o clube da Polícia.  

Com intuito de encontrar um clube em que possa mostrar as suas capacidades, Mabululu   rescindiu  com Interclube de forma  amigável e deve na próxima temporada  representar o Progresso do Sambizanga.   

Por franco rendimento  deixaram o clube, os camaroneses Mfede e Mvon, contratados  no início da temporada anterior. 
O lateral esquerdo  Chora  e o médio Cris Mgoma, contratados na segunda volta do Girabola Zap 2016, não renovaram o  contrato com o clube, por isso, são cartas fora  do baralho da equipa do Rocha Pinto, que na próxima temporada  almeja conquistar os primeiros lugares do Girabola Zap.
VK


TRANSFERÊNCIA
Paizinho almeja títulos no Libolo


O desejo de ser campeão nacional da primeira divisão e de conquistar a Taça de Angola, duas principais competições do país, capazes de serem alcançadas em clubes com mais ambição e nível de organização, é a motivação do avançado Hercânio Chitaca Calenga "Paizinho", de 33 anos de idade, de deixar o Recreativo da Caála para defender as cores do tetracampeão Libolo, na próxima época.

O vínculo contratual do melhor marcador da história do Clube Recreativo da Caála no Girabola, 51 golos em seis épocas, expirou em Novembro, pelo que optou por sair, não obstante o interesse dos dirigentes caálenses na sua continuidade, segundo disse em entrevista à Angop, no Huambo.

"O sonho de ser campeão nacional e de conquistar a Taça de Angola influenciou muito a minha decisão de não renovar com o Recreativo da Caála", disse, e confirma que chegou a acordo com os libolenses por uma época, e uma de opção.

Paizinho deixa o Recreativo da Caála com sentimento de dever cumprido, e salienta que sempre deu o melhor de si para que o conjunto alcançasse os objectivos desportivos.

Da passagem pelos caálenses, destacou a época 2010 em que terminaram na 2ª posição, com o mesmo número de pontos que o campeão (Interclube), foi a melhor classificação do clube no Girabola. Também destacou a participação nas eliminatórias de acesso à fase de grupos da liga dos campeões, em que marcou três golos.

Paizinho iniciou-se como futebolista no Interclube da Huíla de onde saiu em 2004 já sénior, para reforçar o Desportivo da Huíla, ainda na II divisão nacional.

A estreia no Girabola Zap ocorreu em 2005, ao serviço do Desportivo da Huíla. Chegou ao Caála em 2006, na II divisão, e um ano depois transferiu-se para o Petro do Huambo, no Girabola.

Regressou aos caálenses em 2009 no Girabola, mas em 2013 rumou ao FC Bravos do Maquis de onde saiu no ano seguinte para o Benfica de Luanda. O regresso ao Caála aconteceu em 2015.

Ao serviço do Clube Recreativo da Caála, o avançado apontou 51 golos, quatro em 2009, nove (2010), oito (2011), nove (2012), 12 (2015) e nove em 2016, em cinco épocas foi o melhor marcador da equipa, e tornou-se por isso o melhor goleador da história do conjunto, em campeonatos da primeira divisão.
VK