Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Prestao de contas exigida aos clubes

17 de Novembro, 2015

O Cilder Damio diz que equipas devem apresentar o potencial dos seus activos (jogadores) para que no futuro possam gerar receitas

Fotografia: Jornal dos Desportos

O especialista em gestão desportiva e marketing, Ocilder Damião, sugeriu  domingo, em Luanda, que os clubes que fazem parte do Campeonato Nacional de Futebol da Primeira Divisão (Girabola) e outras competições, deviam apresentar as contas da época anterior e mostrar o potencial dos seus activos, antes do início de cada ano, para angariar patrocinadores e garantir receitas para as provas seguintes.

De acordo com o especialista, as agremiações devem pautar, primeiro, por uma organização interna, de forma a consolidar as estruturas administrativas e consequentemente demonstrar transparência na gestão dos recursos do ano anterior, para ganhar credibilidade diante dos potenciais patrocinadores.“A gestão dos clubes desportivos em Angola não segue o padrão universal, por isso dificilmente vamos alcançar os níveis desejados. Passou a ser normal, durante a competição (Girabola), os clubes ameaçarem desistir por dificuldades financeiras.

O mesmo também acontece em outros campeonatos, mas aqui é com frequência e isto só demonstra quão mal estão estruturadas as nossas agremiações”, referiu .O especialista, entrevistado pela Angop para fazer uma antevisão do próximo Girabola, criticou o facto de as agremiações nacionais não realizarem as assembleias para prestarcontas aos sócios.“É praticamente normal terminar a temporada e não se realizar assembleias para prestar contas aos sócios e se acontecer não são divulgados os gastos feitos. De que forma vão ganhar credibilidade diante do patrocinador ou de um provável?”, questionou-se, salientando que com prestação de contas os patrocinadores surgem com naturalidade.

Ocilder Damião explicou ainda que é necessário apresentar o potencial dos seus activos (jogadores) para que, futuramente, os mesmos possam gerar receitas em publicidade, tanto televisivas como em merchandising.Realçou também a importância do “scouting” na constituição do plantel, tanto técnico, como administrativo, para conhecer a situação contratual de cada atleta.

“O scouting técnico é importante, mas o administrativo é igualmente. Algumas vezes os clubes preocupam-se em ver o potencial reforço a jogar, mas esquecem-se dos pormenores como a situação contratual, médica entre outras. Como resultado, contratam jogadores com lesões crónicas, que jogam apenas um ano mesmo tendo dois ou mais de contrato, ou apostam em atletas cujo compromisso com outro clube não permite, por razões financeiras, a sua saída imediata”, explicou.

O especialista em markentig e gestão desportiva salientou ainda a necessidade de utilizarem os sócios para angariar fundos, por forma a minimizar os custos.“Mais uma vez a organização de qualquer clube é importante, para permitir que o sócio se reveja no seu clube do coração e no sentido de os atrair.

Os clubes têm que ter algo para dar em troca ao sócio, ou seja, uma recompensa para aqueles que cumprem com as suas obrigações, para estimular a atracção de mais. Um exemplo prático é no caso dos clubes possuírem infra-estruturas que possam cobrar ingressos, descontar aos sócios que tenham cotas pagas ou acesso gratuito de merchandising, realização de assembleias periódicas para esclarecer os sócios da situação actual do clube, campanhas de sensibilização local, depois nacional e num plano de expansão de forma internacional”, acrescentou.

 

FUTSAL
Coprat e APFSL promovem formaçã
o

A direcção da Coprat Futsal Clube e a Associação Provincial da modalidade de Luanda (APFSL) realizam entre os dias 23 e 28 do corrente, uma acção formativa para treinadores e árbitros, informa um comunicado de imprensa chegado ontem à nossa Redacção.Segundo o mesmo comunicado, a direcção do clube luandense e a APFSL vão realizar uma conferência de imprensa no  dia 23 do corrente, às 10h30, na sede do Banco de Comércio e Indústria (BCI), em que, de entre outras questões, serão fornecidas mais informações a respeito da acção formativa.

As aulas serão teóricas e práticas, com uma duração de duas horas para cada um dos moldes, cujo horário vai das 9h30 às 21h30, com intervalo que vão de duas a três horas. No dia 23, consagrado como primeiro da referida acção formativa, será monitorado o tema sobre os aspectos teóricos e práticos dos sistemas ofensivos, no período da tarde, ao passo que à noite será dada a aula prática, num trabalho que terá como prelector o Professor José Gerardo.

Na aula do dia seguinte os interessados vão aprender sobre a arbitragem, no horário das 9h30 às 11h30, sistemas defensivos e análise e observação, no período das 14h30 às 17h30, e o trabalho prático será feito entre 19h30/21h30, sendo prelectores os Professores António Cardoso e Miguel Tente. 
 
No terceiro dia da actividade será igualmente leccionada matéria sobre a arbitragem, no período da manhã, pelo Professor António Cardoso, enquanto que, no segundo turno, que vai das 14h30 às 17h30, os interessados vão aprender sobre metodologia do treino e teoria e prática do desenvolvimento das qualidades físicas, um tema a ser leccionado pelo Professor Monge da Silva.

O Professor Paulo Bento fará a prelecção sobre a formação, tanto na teoria, como na prática, num dia cujo aprendizado começa pelo tema sobre a arbitragem, cujo prelector será o mesmo indicado para essa disciplina. No penúltimo dia da acção iniciará com a matéria sobre a arbitragem, treinadores e restantes agentes desportivos, no horário das 14h30 às 16h30, a ser levada a cabo pelo Professor António Cardoso, e a parte teórica sobre treino de guarda-redes, a partir das 16h30 até 17h30, e sua parte prática das 19h30 às 21h30, com o prelector António Pena.No dia que marca o encerramento do curso os formandos terão duas horas e meia versando a cerca do trabalho prático sobre a arbitragem.
AUGUSTO PANZO