Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Progresso e Libolo ficam pelo nulo

AVELINO UMBA - 14 de Maio, 2018

Progresso do Sambizanga revelou ontem nos Coqueiros

Fotografia: PAULO MULAZA | EDIES NOUVEMBRO

Depois de dois empates e uma derrota em três jornadas consecutivas, para além de ficar sem jogar na jornada anterior, pelo facto do seu adversário, o JGM do Huambo, ter desistido da prova, o Progresso Sambizanga voltou a empatara  (0-0),  no estádio dos Coqueiros, diante do Recreativo do Libolo, em partida referente à 15ª  jornada do Girabola Zap 2018.
 Ambos conjuntos, carentes de pontos, entraram na quadra de jogo com a determinação de ganhar, mas tanto os caseiros como os forasteiros não justificavam.
A jogar contra um adversário com treinador (Kito Ribeiro do Libolo) que conhece bem a casa dos sambilas, tudo indicava que estes iriam, novamente, empatar ou perder, já que a primeira parte acabou mais dominada pelos visitantes, que chegavam mais vezes para à baliza dos visitados.
Esta parte do jogo, a primeira, teve, na verdade, uma história muito curta para ser narrada:  de facto o Progresso do Sambizanga mostrava ambição de voltar as vitórias, mas foi o Libolo, logo à passagem do minuto 16, com Sidnei, na marcação de um pontapé de canto, quem  serviu a Hervé Ndonga.
onga, com tudo para este divisar a baliza de Titi, mas o seu cabeceamento levou a bola para fora da baliza.
À  passagem do minuto 31\', numa joga colectiva, os sambilas responderam pela mesma moeda, por intermédio de Cuca a servir Balakai dentro da grande área. Este não conseguiu tirar o melhor proveito, por ter chegado atrasado  à bola, enfim.. erros atrás de erros, tanto de um lado como do outro, o que fez  prevalecer o nulo (0-0) até ao fim dos primeiros 45 minutos.

2ª PARTE
No regresso ao relvado, esperava-se mais dos sambilas, mas foi a equipa de Calulo que se revelou mais interventiva e agressiva. Os sambilas  erravam muitos passes, não conseguiam organizar lances de ataque, optando pelo \"futebol directo\" e em contra-ataques facilmente estorvados pela defesa contrária, aliado à falta de ligação entre o meio campo e o ataque. Faltou , algumas vezes, objectividade e sentido de equipa.
Apesar disso, os libolenses continuaram a pressionar os sambilas  em busca do golo, mas incapazes, por falta de sorte e calma dos jogadores que, assim, permitiu o empate a zero bola, numa partida bem acompanhada pelo trio de arbitragem chefiado por Rodrigues Aleixo que, diga-se, não merece qualquer contestação.