Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Progresso e Santa Rita jogam nos Coqueiros

Paulo Caculo - 19 de Maio, 2017

Progresso tem hoje tarefa teoricamente acessível diante do Santa Rita de Cássia

Fotografia: Jose Soares | Jornal dos Desportos

Diante do último classificado, os sambilas não apenas são obrigados a justificar o \"factor-casa\", mas sobretudo provarem que o ascendente evidenciado nas últimas jornadas não é obra do acaso.

O rendimento  que a formação orientada por Kito Ribeiro espelha no fim da  primeira volta da prova é uma clara demonstração que a equipa está no caminho certo. É sabido que favoritismos não ganham jogos, por isso, exige-se do Progresso argumentos suficientes para merecer ficar com os três pontos em discussão.

A precisar de pontos, como se do \"pão para a boca\" se tratasse, na luta pela sobrevivência no campeonato, ao Santa Rita pede-se que vá a busca de forças redobradas para evitar que continue a ver a Segundona cada vez mais próximo.

A maior pressão encontra-se, naturalmente, do lado da equipa católica, dada a posição aflitiva que ocupa no campeonato. Em face disso, ao conjunto do Uíge a vitória afigura-se imperiosa, caso queira encetar a necessária fuga dos lugares de despromoção.

Acrescenta-se o facto dos católicos enfrentarem este jogo fora de portas, uma variável que pode complicar, ainda mais, as aspirações de \"roubarem\" os três pontos ao adversário.

Se, por um lado, o Progresso chega a este jogo com os níveis de motivação em alta, fruto da surpreendente vitória alcançada no terreno do Sagrada Esperança, por outro, o Santa Rita precisa de se redimir do deslize (mais um) consentido na jornada anterior, em casa, frente ao Petro de Luanda, embora num jogo em que se pode enaltecer a postura aguerrida da equipa.

Aguarda-se por um jogo em que os donos da casa vão procurar assumir fazer jus a sua condição logo nos minutos iniciais com o domínio territorial da partida, mas com o conjunto forasteiro a impor o seu futebol e a tentar espreitar o golo.

A jogar em casa e perante os seus adeptos, certamente, que os sambilas vão aproveitar o embalo dos resultados dos dois últimos jogos para entrarem em campo com a firme disposição de somarem a terceira vitória consecutiva. O Santa Rita já provou ser um conjunto que não se pode dar espaço.


SANTA RITA
“Temos de fazer coisas diferente”


O treinador do Santa Rita FC, Kongolo Nseye, disse, ontem à Angop, quarta-feira, que para alcançar a vitória no jogo desta tarde terá de fazer coisas diferentes, reiterando que a meta passa por somar pontos para não comprometer a permanência na I divisão

Nkongolo Nseye que falava no fim da última sessão de treinos decorridos no estádio 4 de Janeiro, frisou que a sua equipa encontra-se avisado que para alcançar as vitórias e terá de fazer coisas diferentes, já que não basta realizar boas exibições e no fim do jogo a equipa sair do campo derrotada.

“No seio do grupo reina um ambiente saudável, fruto do diálogo existente entre jogadores, equipa técnica e direcção. Isto leva-nos a espreitar novos rumos na prova, já que as derrotas fazem parte do passado”, disse, à Angop, lembrando que estão ainda em disputa 48 pontos, para o fim do Girabola Zap /2017.

Ao longo da semana a preparação decorreu em sessões de treinos do Santa Rita FC, basearam-se,  entre outras,  na recuperação física dos jogadores, correcção dos erros defensivos e ofensivos.

Trata-se de um desafio que vai colocar frente a frente duas equipas separadas por 16 pontos, já que o Santa Rita FC é o  último classificado, com sete pontos, igualmente, ambos conjuntos vêm de resultados diferentes na jornada anterior, vitória para os “Sambilas” e derrota do Santa Rita FC.

Em 14 jogos já disputados, o Santa Rita FC, consentiu nove derrotas, quatro empates e obteve uma vitória