Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Progresso empata com Kabuscorp

Avelino Umba - 10 de Abril, 2016

O grande momento do jogo aconteceu aos 30' numa jogada que comea com uma luta acrrima de Mano do Kabuscorp

Fotografia: Jornal dos Desportos

Os primeiros minutos mostraram  um Progresso  melhor, a aproveitar os erros do adversário e, aos 5', Popó dentro da grande área rematou forte para o lado esquerdo da baliza defendida por Mario sem qualquer perigo.

O jogo foi ganhando equilíbrio, mas com um Progresso mais agressivo, com capacidade que o adversário e foi assim que, aos 11' o capitão Chora, numa jogada rápida, servido pelo Eliseu, rematou para a baliza de Mário com a bola a passar a centímetros do poste esquerdo da baliza palanquna.

O grande momento do jogo aconteceu 30' numa jogada que começa com uma luta acérrima de Mano do Kabuscorp, que ficou a procura de apoio com a bola durante 10 segundos. Conseguiu assistir Lami que passou para o Chole e este a rematar para a baliza de Nyame, que teve defesa do camaronês ao serviço dos sambilas com a sua defesa incompleta.

Chole fez a recarga que provocou uma "embrulhada" de jogadores na pequena área dos sambilas que só o perigo não aconteceu graças a dois defesas que conseguiram afastar a bola para mais distante. De lá até ao intervalo, o jogo ganhou um um equilíbrio com os sectores defensivos de ambas as partes bastante atentos, ora jogo eu ora tu, até ao apito do árbitro.

O segundo tempo começou com um aviso de uma bola parada na cobrança de um livre directo pelos palanquinos. Nyame  foi obrigado a sair com os punhos para evitar o pior.

Os palanquinos demoraram a levantar-se, mas, aos poucos foram ameaçando, para chegar ao golo, a julgar pela expulsão de Gerard, quando foi mostrado a cartolina vermelha pelo árbitro Aírton Carmelino, alegando que o jogador teria importunado a jogada, ao travar a bola com a mão. Em suma, tudo aconteceu neste jogo, onde tanto uma como outra podia ganhar o jogo, sobretudo o Progresso que mais oportunidades de marcar teve.

Silva, Totó e Viete pelo Progresso e Mple Mpele, são os jogadores fizeram levar as mãos a cabeça dos presentes , gritavam golo, mas os seus remates levaram rumos errados.

O jogador do Kabuscorp dentro da pequena área na situação claramente privilegiada, ficou estático, tudo na ponta final da partida. Quanto a atuação da equipa de arbitragem, deixou furos abaixo, apesar de não ter influenciado de forma directa do resultado.

Nyame, guarda-redes camaronês ao serviço dos "sambilas" foi o homem do jogo. Esteve bastante atento para evitar golos na sua baliza.