Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Progresso..."regressa" com mais um empate!

Avelino Umba , Huambo - 16 de Julho, 2018

Progresso do Sambizanga encontrou um sector defensivo adversrio difcil de transpor

Fotografia: vigas da purificao | EDIES NOVEMBRO

O Recreativo da Caála dividiu pontos com o Progresso Sambizanga ao empatar ontem, no estádio de Caála, por 1-1, em jogo referente à 23ª jornada do Girabola Zap. Os golos foram apontados por  Tchitchi aos 56, (Caala) e Chilo aos 87(sambizanga).
Ambos conjuntos, carentes de pontos, entraram para um campo com bancadas cheias, isto é, sem mais lugar para alguém, mas com a relva seca, que fazia os jogadores  encontrar dificuldades em fazer a circulação da bola.
Determinados de vencer o jogo, com fito de amealhar pontos para a sua classificação, a equipa da casa entrou a \"matar\", ou seja, com tudo ou nada num reencontro dos de técnicos com antigas suas equipas, curiosamente num dia em que Caála completava 48 anos como cidade e 108 anos como vila.
A jogarem em casa apoiado do seu público,  o favoritismo recaia, teoricamente, para os anfitriões, que dominavam , ao fazer chegar mais vezes a bola à baliza dos sambilas.
Aqui, mérito para Eliseu que logo no início da partida: n numa bola parada, ao lado esquerdo, dento do meio campo do adversário, desferiu o primeiro remate do jogo mas a bola teimosamente  tomou direcção errada.
Parecia um insulto ao adversário que respondeu de forma \"violenta\"  no decorrer de 13\'. Já estava feito o estudo mútuo das duas equipas.
O Caála pressionou em várias vezes para o último reduto dos sambilas com muitas oportunidades claras de golos, não fosse a grande intervenção de Titi que tinha olho clínico para boa leitura do jogo que chegou mesmo a ficar estatelado no relvado fruto de um remate que obrigou a sair de punhos.
Com uma história muito longa para narrar a primeira parte, o Progresso do Sambizanga mostrava ambição de vencer em casa do adversário, mas encontrava um sector defensivo que anulava todas as suas investidas, com Yano e Celso a fazer jogadas que levam perigo a baliza de Boneco, mas sem grandes sucessos, levando o nulo sem golos até ao intervalo.
No regresso ao relvado, esperava-se da reacção da equipa visitante, mas foi a equipa da casa que tomou a iniciativa de jogo: mais interventiva e com mais agressividade ,que o levou a abrir activo à passagem do minuto 56 minutos. Tchitchi na sequência de cobrança de um livre direito muito longe da grande área desferiu um remate sem qualquer possibilidade de defesa de Titi.

VERMELHO DIRECTO
À  passagem do minuto 74 com o Progresso a fazer jogo directo, apareceu Yano isolado, o guarda-redes Boneco saiu e defendeu a bola com a mão fora da grande área sobre olhar atento de Yuri de Melo que, de imediato, exibiu cartão vermelho para o guarda-redes do Caala. Na cobrança do livre em directo, o remate sambila bateu na barreira e, na recarga, estavam três jogadores em posição irregular.

GOLO DE EMPATE
O Progresso a jogar com vantagem de mais uma unidade, aos 87 minutos numa joga colectiva, que partiu de Yano, assistiu a Chilo...que só  ecolocou a bola dentro das malhas da baliza do Caála.
Apesar disso, os caalenses continuaram a pressionar os sambilas, em busca do golo de vantagem, mas incapazes, por falta de calma na pontaria dos jogadores. Por esta razão o empate (1-1) justifica-se, numa partida bem acompanhada pelo trio de arbitragem chefiado por Yuri de Melo, vindo de Malanje, auxiliado por Cláudio Francisco e João Fula, ambos de Luanda