Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Proletrios baixam para a segunda diviso

06 de Novembro, 2016

Foi uma autntica festa de despedida que os benguelenses viveram.

Fotografia: Jornal dos Desportos

Foi uma autêntica festa de despedida que os benguelenses viveram. O jovem e expedito atacante Filhão foi o herói da contenda. Marcou dois bonitos golos (49’ e 81’) que relançaram a equipa na condição de vencedora, ante um Caála que acabou atarantado. Ou seja, foi impotente de assegurar a vantagem que construiu nas duas ocasiões para no fim terminar derrotado.

O Recreativo da Caála tinha tudo para deixar o municipal Edelfride Costa a sorrir, não fosse a displicência e falta de capacidade técnica e competitiva que demonstrou ao longo da contenda.

 Logo que marcou o primeiro golo por intermédio de Domingos (44’) passou ao anti-jogo, facto bem aproveitado pelos proletários para igualar o “score”. Filhão (49’) foi o obreiro da façanha.

Não satisfeito com a situação, os caalenses voltaram a subir as linhas e marcaram mais um golo, por intermédio de Landry (59’).

A partir desse momento da contenda, deu para perceber que os comandados de Beto Cardeau não estavam preparados para se assenhorar no jogo. Voltaram à velha táctica: anti-jogo, simulando lesões aí onde via-se que não existiam.

Para a tristeza dos caalenses e felicidade dos benguelenses que estiveram no estádio Edelfride Costa “Miau”, o 1º de Maio apercebeu-se na molenga que o adversário aparentava. Subiu as linhas, pressionou de forma insistente para no fim triunfar com mais dois golos apontados por Caporai (60’) e Folhão (81’). O segundo golo de Filhão mexeu com o espírito de milhares de almas presentes no estádio. Aliás, foi a partir desse mesmo "golaço" que a festa dos adeptos prometida pelo técnico Hélder Teixeira começou.

O público entrou em delírio e assim o 1º de Maio despedia-se em grande ante ao clamor e lamentos dos seus aficionados que testemunharam o facto.
A actuação da equipa da arbitragem liderada por Osvaldo Félix não comprometeu, realizou o seu trabalho de forma despercebida. Boa execução, pelo que mereceu da nossa parte distinção positiva. Nota dez (10).