Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Proletrios em Menongue para ganhar o jogo

Jlio Gaiano , em Benguela - 15 de Outubro, 2016

O 1º de Maio de Benguela tem a estratégia montada para, hoje, a partir das 15h00’, no estádio municipal de Menongue, defrontar e vencer ao FC 4 de Abril do Cuando Cubango em partida é pontuável para 27ª jornada do Girabola Zap 2016.

Uma eventual derrota, pode “atrapalhar” nos prognósticos da equipa da treinada pelo professor Hélder Teixeira, que acredita, piamente, nos três pontos sobre o seu oponente.

“O 1º de Maio está bem e preparada para o desafio no Cuando Cubango. Nas últimas jornadas, temos enfrentado inúmeras dificuldades motivadas por situações estranhas ao futebol de que nos é característico", disse o treinador.

Hélder Teixeira sublinhou que "espero que desta vez que as coisas corram a contento e que vença a equipa que melhor se apresentar em campo. O futebol é uma festa. Festa essa que poderia ser melhor se as pessoas fossem sérias no cumprimento de regras", acrescentou.

Proceder-se ao contrário, continuou o treinador "constitui numa confusão autêntica ”,  e fez saber que a sua equipa já digeriu derrota diante do 1º de Agosto (1 a 3) sofrida na passada jornada.

O técnico lamentou, contudo, o facto de a mesma resultar da suposta fraca a actuação da equipa de arbitragem e gerou grotesca confusão ao que exigiu a pronta intervenção dos agentes da Polícia de Intervenção Rápida (PIR).

“Infelizmente, perdemos e não há como mudar. Por isso, não faz sentido nos apegarmos unicamente nas falhas do árbitro. Perdemos para um forte candidato à conquista do título. O nosso objectivo passa pela permanência no GirabolaZap. Para nós, são águas passadas. Agora, vamos nos ater aos outros jogos que nos restam. Precisamos ganha-los todos e ver se ficamos ou saímos da competição”, referiu.

Para o encontro com o FC 4 de Abril do Cuando Cubango, o técncio da formação benguelense trabalhou os aspectos físico, técnico e táctico. A vertente psicológica dominou grande parte das sessões que culminavam numa prelecção demorada em cerca de meia hora.

Na busca de traquejo, estoicismo e adaptação do campo, para a operação Menongue, Hélder Teixeira trabalhar, ao longo da semana, em campo sintético, tal qual ao do estádio que acolhe, na condição de anfitriã os jogos da formação treinada pelo técnico João Machado.

E, por aquilo que nos foi dado a perceber, para a empreitada nas terras do Progresso, o professor Hélder Teixeira pode aposta em Leo; Mário Luvambo, Tobias, Edson e Muenho; Elizur, Bugo Jazz e Franck; Filipe e Lelas.