Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

"Proletrios" erguem trofu da permanncia

06 de Novembro, 2017

O 1 de Maio apresentou um combinado que conferiu confiana

Fotografia: DOMBELE BERNARDO | Edies Novembro

O 1º de Maio de Benguela saiu ontem de cabeça equipa do campo, depois de jogar em casa com o Petro de Luanda, porque conseguiu mostrar aos seus adeptos, sócios e dirigentes que esta época superou as cinco anteriores mais sofridas.
 A equipa, que no dia 25 de Janeiro deste ano recebeu autorização para substituir no Girabola ZAP o Benfica de Luanda na \"liguilha\", contrariamente aos desinteresses do Porcelana do Cuanza Norte, fez, até ontem, no seu reduto, jogos diferentes da colecção de fracassos, como se viu em 2016 em que somou 29 pontos em 30 jogos (7 vitórias, 8 empates e 15 derrotas – com saldo de 24 golos marcados e 44 sofridos).Desta vez também conseguiu contrariar as imagens deixadas 2011 e 2014, porque agora apresentou agora um combinado que conferiu confiança aos seus sócios e adeptos. Protagonizou nova postura, fruto de muito trabalho e rigor para o alcance dos objectivos, que é a  \"troféu da permanência\".
Para a sobrevivência na presente temporada, a empresa angolana Crisgunza foi um das destacadas patrocinadoras oficiais a equipa, à semelhança do que já fez no ano passado.
Se este apoio não lograria esta boa participação no campeonato nacional, em que a missão principal foi esse resgate do prestígio \"proletária\" embora  o caminho do 1º de Maio - além do Girabola - apontasse também para a Taça de Angola, onde fracassou.