Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Proletários sem Caporai no Uíge

Júlio Gaiano, em Benguela - 22 de Outubro, 2017

O treinador do 1º de Maio de Benguela, Agostinho Tramagal,

Fotografia: Jornal dos Desportos

 O treinador do 1º de Maio de Benguela, Agostinho Tramagal, assegurou ontem ao Jornal dos Desportos, por telefone, a partir de Luanda, de onde partiu para o Uíge, que a sua equipa está preparada para o embate de hoje, às 15h00,  no estádio 4 de Janeiro, diante Santa Rita de Cássia FC, pontuável para a 28ª jornada do Girabola Zap 2017, embora não vai contar com o avançado Caporai, principal unidade do ataque proletário.

Caporai saiu lesionado no jogo diante do FC Bravos Maquis, referente à segunda mão dos quartos-de-final da Taça de Angola, disputado no Moxico, pelo que teve de abandonar o grupo e regressado a casa na passada sexta-feira.

O técnico Tramagal desdramatizou o facto, porém reconhece que a ausência do atleta pode tirar a dinâmica e a qualidade de jogo que a equipa vinha empreender nos últimos jogos, porém não retira a vontade e a crença do colectivo que passa necessariamente pela obtenção dos três pontos.

“Não vai ser a primeira vez que isto acontece. Com ou sem ele (Caporai), o 1º de Maio jogou e venceu.
É claro que a sua presença dá outra qualidade no ataque da equipa. É uma baixa, mas não para se desdramatizar, porquanto, temos alternativas que podem fazer a vez dele e, quem sabe, vencer”, precisou.

O jogo entre \"católicos\" e proletários marca o reencontro de Hélder Teixeira com os seus antigos pupilos, seis meses depois, de o actual técnico dos \"católicos\" ter rompido o vínculo contratual com a direcção do 1º de Maio de Benguela, no dia 10 de Abril último, por alegada falta de ambiente para se manter no grémio encarnado.

Tramagal disse que a apesar de a sua equipa estar livre da despromoção vai se apresentar no 4 de Janeiro na máxima força. Na sua óptica, aos proletários caberá honrar e dignificar as cores do clube que representam.

“Vamos Disputar o jogo pelo jogo, com a mesma disposição de sempre e no fim sorrir se poder. O Santa Rita não é uma equipa qualquer, apesar da posição em que se encontra, tem dado mostras de melhoria. Esteve bem representada na Taça de Angola e só não foi mais além por manifesta falta de sorte. Por isso, estamos preparados e cientes de que não vai ser fácil vencê-la no seu reduto”, augurou.

Agostinho Tramagal pode atacar os três pontos no 4 de Janeiro com Rui; Lara, Cristiano, Jó e Márcio Luvambo; Brasuca, Fatite, Mona e Maria Pia; Bumba e Edú.