Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Proletrios tm misso difcil

Jlio Gaiano, Benguela - 05 de Outubro, 2019

Fotografia: Edies Novembro

A equipa do Estrela Clube 1o de Maio de Benguela tem tarefa complicada hoje à tarde, a partir das 15h30, no Estádio de Ombaka, a julgar pelo potencial competitivo do adversário da 7a jornada do Girabola Zap 2019/2020, o que gera expectativas crescentes no seio dos seus apoiantes que acreditam num bom resultado ante o Progresso Sambizanga.
A realizar uma campanha menos conseguida (somou apenas um ponto em ao cabo de seis jornadas), o 1o de Maio de Benguela enfrenta hoje um adversário, que nas duas deslocações em terras benguelenses acumulou derrotas, revelando fragilidade competitiva em jogos disputados fora do seu reduto. Um pormenor bastante esclarecedor para os proletários tirarem deste embate a oportunidade de somar a primeira vitória, no presente campeonato.
Uma vitória que pode reanimar a formação proletária, que tarda a reafirmar-se na presente campanha futebolística. Em seis jogos disputados, somou um ponto, resultante do empate (a zero) conseguido na recepção ao Sporting de Cabinda.
No desafio desta tarde, espera-se por um 1º de Maio competente e catapultado para o triunfo, tal como reagiram os dirigentes e membros da equipa técnica, com um “não” à ideia de uma possível antecipação da contenda, proposta avançada pela direcção do Progresso do Sambizanga, que pretendia aproveitar a presença da equipa na cidade de Benguela, para o jogo com o Wiliete SC, para num curto espaço de tempo, isto  na 4ª feira, para disputar o referido jogo.
Na óptica dos dirigentes proletários, a equipa precisava de tempo para repousar e repensar na estratégia a vencer e minimizar o sofrimento que carrega ao longo das últimas seis jornadas. Antecipar o jogo para um dia normal de trabalho (quarta-feira), apenas ia facilitar os intentos do adversário, que a não ter muito a perder e com pouco público no Estádio, ia jogar tudo a seu favor e agudizar ainda mais a crise reinante.