Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Quatro desistncias marcam acesso aos oitavos-de-final

Paulo Caculo - 18 de Fevereiro, 2019

A qualificação das equipas do Atlético Sport Aviação (ASA), Recreativo da Caála, Desportivo da Huíla e Santa Rita aos oitavos-de-final da Taça de Angola em futebol, por desistência dos respectivos adversários, marcou ontem a disputa dos dezasseis-avos da segunda maior competição do calendário da Federação Angolana de Futebol (FAF), que teve na Académica do Lobito a primeira a carimbar o \\\"passe\\\". 
   Ferroviário do Huambo, Chamburikiko de Cabinda, Benfica do Lubango e Paulo FC do Bengo desistiram a meio da prova, alegadamente por questões financeiras. No sábado, coube às formações do Cuando Cubango FC e do Eliote de Benguela a alcançarem a fase seguinte, fruto dos triunfos sobre o 1º de Maio e AKC do Cunene.
A equipa das terras do progresso precisou de recorrer aos penáltis (6-5) para alcançar a qualificação, após o teimoso 1-1 nos minutos regulamentares. O desconhecido Eliote, por seu lado, precisou de puxar dos galões para carimbar o passaporte aos Oitavos, na sequência de uma vitória (2-1) apertada, em Benguela.
 O jogo foi marcado por períodos de enorme equilíbrio e imprevisibilidade no desfecho. A Académica do Lobito foi a primeira a atingir a lograr os intentos na prova, ao superar a equipa do Saurimo FC, aos penaltis (4-3), depois de nulo nos 90 minutos.   Estão apurados para os oitavos-de-final da prova as equipas do Desportivo, Caála, ASA, Santa Rita, Eliote de Benguela, Académica do Lobito,Kabuscorp do Palanca, Petro de Luanda, 1º de Agosto, Interclube, Bravos do Maquis e Domant FC.
 Estiveram isentos da fase de disputa dos dezasseis-avos de final as formações do Petro de Luanda, detentor do troféu, 1.º de Agosto (finalista vencido), Interclube, Progresso do Sambizanga, Kabuscorp, Bravos do Maquis e Domant FC do Bengo, face a prestação destes na última edição, em 2017. A Taça de Angola não foi disputada em 2018 devido a alteração no calendário das provas nacionais por decisão da Confederação Africana de Futebol (CAF), que exigiu a conclusão dos campeonatos internos dentro dos seus prazos. O 1.º de Maio de Benguela foi o primeiro vencedor desta competição, em 1982, e o Petro de Luanda é a equipa mais titulada, com 11 troféus.