Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

"Queremos conquistar o nosso espao"

Paulo Caculo - 24 de Fevereiro, 2016

O treinador confessou, por outro lado, ter sido muito bem recebido no Cateto,

Fotografia: Jornal dos Desportos

O hispano -brasileiro Beto Bianchi afirmou sem evasivas, ter aceite o convite da direcção do Petro de Luanda para ajudar a devolver ao clube os títulos, a mística e o prestígio granjeado no principal campeonato de futebol do país, Girabola Zap, onde ostenta o maior número de conquistas:15. O treinador dos petrolíferos falava à imprensa na véspera do jogo da primeira jornada do campeonato, em que defrontou e venceu o 4 de Abril do Cuando Cubango, por 1-0, fez questão de esclarecer que assumiu a responsabilidade de desenvolver um trabalho sério, profundo e relevante no plantel dos tricolores, que resulte em grandes benefícios.

"Eu vim com esta intenção de conquistar títulos, de devolver a mística ao clube e estou trabalhando para isso. O sacrifício é muito grande, deixei a família, os filhos e não estou aqui em passeio em Luanda, nem para turismo", assegurou, categórico, o responsável máximo da equipa técnica do Petro de Luanda."Vim para isso, estou a trabalhar para este objectivo claro, concreto e estou deixando a minha vida neste clube, para reverter a situação.

Mas não vai ser fácil, porque o Girabola não é só o Petro, tem vários outros clubes como o 1º de Agosto, Libolo, Interclube e vários clubes que também estão apostando forte. Todos temos os mesmos objectivos e posso garantir que trabalhamos com este objectivo. Agora, outra coisa é saber se vamos conseguir ou não", acrescentou.O treinador confessou, por outro lado, ter sido muito bem recebido no Catetão, onde encontrou pessoas acolhedoras, gente do futebol e sobretudo, um grupo de trabalho extremamente profissional. Garantiu, por isso, estar satisfeito "em todos os sentidos", quer pelo lado profissional, como pessoal.

"Mesmo ao nível dos jogadores, o trabalho deles está sendo muito forte, duro e esperamos uma recompensa a longo prazo. A competição é longa e não vai ser definido nas primeiras jornadas. Passo a passo e jogo a jogo queremos conquistar o nosso espaço. Para mim, o jogo mais importante da minha carreira é sempre o da primeira jornada", disse.
                                   
JIRESSE  E  FABRÍCIO
Técnico confia nos avançados


O Petro de Luanda tem dois avançados no plantel, o brasileiro Fabrício e o congolês democrático Jiresse. Questionado à respeito, o treinador disse não estar preocupado, porque a equipa pode ter quatro atacantes e não ser ofensiva.   "Pelo que estou vendo, é um tabu em Angola, para vocês quanto mais avançados, mais golos. Respeito todas as opiniões, mas não concordo, porque você pode jogar com quatro avançados, mas se não tem um meio -campo forte e capaz de segurar a bola, os avançados ficam parados lá a frente.

Não é que se tivéssemos mais avançados seríamos mais ofensivos. No nosso sistema e estilo de jogo não atacamos só com avançados.São mais jogadores que incorporam na última linha de ataque, desde que a gente consiga tirar o máximo rendimento deles estou satisfeito", disse.Beto Bianchi esclareceu que algumas pessoas chegaram a julgar da sua competência, antes mesmo de começar a trabalhar com a equipa. O técnico repudia tais comportamentos, justifica que no futebol quando não existe confiança no técnico novo não se pode encontrar o caminho do sucesso.

"Quando cheguei fui julgado por algumas pessoas e acho que queriam o Mourinho ou Guardiola, mas estes não vêm e não por ser África ou Angola, mas porque o valor económico não é superior. Deve-se dar tempo ao treinador, mas acho que pouco a pouco fui ganhando a confiança dos adeptos. A percentagem de trabalhar bem e conseguir bons resultados é maior do que quem trabalha mal".