Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Árbitros do Luena estão sem castigo

Betumeliano Ferr?o? - 03 de Agosto, 2017

Árbitros acusados regressaram a Benguela antes de deixarem Luanda apresentaram a versão dos factos

Fotografia: David Dias |Edições Novembro

As fortes acusações de Zeca Amaral contra os árbitros assistentes, Ricardo Daniel e Joaquim Chio, caíram nos "ouvidos moucos" do Conselho Central de Árbitros de Futebol de Angola "CCAFA", e segundo apurou o Jornal dos Desportos de fonte segura, estava nas cogitações do órgão  nomear os acusados para um dos jogos da Taça de Angola.

O CCAFA quer passar a mensagem de confiança aos seus filiados, assegurar -lhes que vão manter-se no activo até que surjam as provas que motivem uma acção disciplinar, garantiu a nossa fonte. O CCAFA não vê com bons olhos a suspensão dos acusados, até que o caso seja resolvido e é por isso que Ricardo Daniel e Joaquim Chio continuam a receber o tratamento de antes.

Os árbitros acusados  regressaram a Benguela, província onde vivem, antes de deixarem Luanda apresentaram a  versão dos factos. Eles reafirmaram a sua inocência. Um dos argumentos foi a ausência de casos no jogo, e parece que convenceram o CCAFA como fica evidente pelo facto de terem estado nas cogitações para a Taça de Angola, mas as duas partes acharam que a pressão psicológica contra os árbitros é muita, por causa do que se comentou.

As denúncias de Zeca Amaral voltaram a agitar as conturbadas águas da arbitragem nacional, mas o nosso jornal apurou que o CCAFA prefere ser vagaroso e ouvir. Primeiro, quer ter todos os elementos antes de decidir, se os acusados merecem ou não serem sancionados pelo Conselho de Disciplina.

O caso da jornada é capaz de conhecer novos capítulos, a qualquer momento, a  confirmarem algumas informações que chegaram à nossa redacção, e que vinculam o FC Bravos do Maquis. Uma delas, está relacionada com o envio ao CCAFA de vídeos com as cenas da suposta corrupção dos árbitros, por parte do 1º de Agosto.

As supostas provas, em posse do FC Bravos do Maquis, podem desencadear uma guerra figurativa entre vários clubes. Fontes oficiosas afirmaram ao Jornal dos Desportos, que alguns rivais do 1º de Agosto estão a ser apontados como os que mais estão a agitar os maquisardes a levar o caso até as últimas consequências,  para que os militares sejam sancionados pela FAF.

O Jornal dos Desportos vai acompanhar este caso até onde for possível, nas próximas edições volta a abordar o assunto, na tentativa de trazer novos dados, com base nas informações a que tivermos acesso nos últimos dias.