Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Refrega no topo

Betumeleano Ferro - 02 de Fevereiro, 2019

Militares da Regio Sul desinibidos dos diamantferos

Fotografia: Agostinho Narciso | Edies Novembro

O poder competitivo do Desportivo da Huíla está evidente na liderança no campeonato. Qual lebre inesperada,  os militares da Região Sul tornaram-se o apetecível alvo a abater,  por isso, é fácil entender por que o Sagrada Esperança vai ter de fazer pela vida, para impedir a tentativa “ de garimpar”do grupo às ordens de Mário Soares, no Dundo, às 15h00, termine em sucesso.
Por culpa do Desportivo da Huíla, justiça seja feita, o cartaz do dia está no Dundo, o Estádio do Sagrada é dos mais difíceis do Girabola Zap, então, os militares da Região Sul vão provar mais uma vez que têm competência para pontuar em qualquer lado.
As coisas extraordinárias que os militares fizeram, superaram todos os prognósticos, pelo que é mesmo verdade que a fase do lucro iniciou muito mais cedo do que o previsto, por mais que a direcção faça o esforço possível de manter o discurso, fica claro que o plantel mudou a maneira de pensar, que  é somar, seguir e nada mais.
Os militares vão em casa alheia com a faca e o queijo na mão, o foco está neles que têm amplo campo de manobra para experimentar o que acharem como solução ideal para arrumar com os diamantíferos. A boa base do líder, serve de motivação para o Sagrada, mas a equipa anfitriã sabe que tem de acautelar-se em demasia, para não ser ferida de morte, em situação normal corria menos riscos, mas o momento actual é do Desportivo, assim, tem de haver humildade para reconhecer que há qualidade do outro lado.
Até certo ponto, não perder já era um grande resultado para o Sagrada Esperança, mas  vencer o líder tem outro impacto,  quando acontece na última jornada da primeira volta, em que a prova está em fase adiantada.  É ponto assente, que os diamantíferos ambicionam saborear um gosto diferente, para experimentar ânimo renovado para as próximas rondas.
O FC Bravos do Maquis - Interclube, às 15h00 no Mundunduleno, é também um prato apetecível, não é o do dia porque o menú vai  ser servido na \"sala\" do vizinho, todavia, é um jogo com ingredientes necessários para um chamariz. Enquanto os maquisardes ambicionam a sequência de bons resultados nos jogos  com os grandes, os polícias estão na obrigação de provar que há vida com o treinador, que afinal era mesmo o que diplomaticamente convinha negar, o substituto de Rui Garcia.
Os maquisardes têm estabilidade em todos os sentidos, esticam -se até onde for necessário, para somar  os três pontos importantes, ainda mais porque vão ser obtidos diante de um concorrente directo. Um desaire caseiro pode não significar ainda uma troca imediata de posições, contudo, fica claro que o Maquis quer fugir ainda mais do Interclube,  tem mais condições favoráveis para ganhar ao adversário.
A precisar de reabilitação,  para recuperar a auto-estima, o Sporting de Cabinda regressa ao \"santuário\" do Tafe, também  às 15h00, para regressar às vitórias ante a renovadíssima Santa Rita de Cássia. Os leões têm de fazer mais do que rugir para dilacerar a presa, os católicos estão a mover montanhas, este é o verdadeiro período de bonança para a equipa “católica”, os papéis inverteram-se e a pressão está com quem ocupa um dos lugares de despromoção.
Por mútuo acordo, o desafio Saurimo FC - Académica do Lobito vai ser remarcado para data a anunciar nos próximos dias, a FAF considera válida a razão apresentada pelos “estudantes” que alegam dificuldades de deslocação para o reduto dos lundas.

AMANHÃ NO 11 DE NOVEMBRO
Dérbi confirma ou altera posições


Ao contrário do Kabuscorp, a primeira volta ainda não termina amanhã para o 1º de Agosto, contudo, o dérbi agendado para às 17h30, no Estádio 11 de Novembro, tem carácter decisivo para os dois contendores. Enquanto os militares fixam os olhos no prémio, para quase dobrar a vantagem sobre o adversário, os palanquinos tentam uma ultrapassagem que pode aguardar até ao clássico, para saber se é definitiva ou provisória.
Os dados estão lançados, os oponentes nem precisam de estar agarrados à calculadora, para avaliar o que ganham com exactidão no final do dérbi. Nenhum vai ganhar para já o campeonato, entretanto, os  três  pontos são determinantes para alicerçar o que cada equipa  preconizou.
O campeão conseguiu matar o borrego, é por isso, que com mais ou menos dificuldades  nas últimas temporadas consegue impor-se aos palanquinos. Este, é mais do que um mero detalhe, realmente pode ser a chave para abrir a porta do (in)sucesso ou do 1º de Agosto ou do Kabuscorp, melhor do que ninguém os contendores sabem da importância dos pontos obtidos nos jogos com concorrentes directos.
Mais necessitado do que nunca, os palanquinos vão fazer a sua parte no dérbi, são forçados a vencer para manter a permanência no trio da frente.
Ainda longe do fulgor das épocas anteriores, o 1º de Agosto percebeu em boa hora, que nem sempre tem tudo ao mesmo tempo, mas vencer tornou-se muito mais importante do que jogar bem, sem chances de ter as duas coisas ao mesmo tempo, os militares estão a estabelecer prioridades. Para o caso de mirar e acertar no alvo vão cumprir com a sua obrigação, nesse aperto em que parecem estar, parecem mais detractores do que nunca, a equipa técnica liderada por Dragan Jovic pretende calar a "onda" de revoltados.
O Kabuscorp está na figura de adversário ideal, para testar a capacidade de reacção do 1º de Agosto, os palanquinos num dado momento do campeonato aparentavam não estarem a competir para permanecer no comboio dos candidatos, agora, mais ninguém duvida do estatuto, porque recuperou à tempo.
O jogo Clube Recreativo da Caála (CRC) - ASA vai começar mais cedo, ou seja às 15h00,  os amantes do futebol podem ir descansados ao Estádio da Caála, porque depois  retornam a casa, ou parar um outro sítio para ver pela televisão o dérbi de Luanda. Quer os caálenses, quer os aviadores, sabem que amanhã as atenções têm dono, mas ninguém os impeça de fechar em grande a primeira volta do campeonato.