Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Reviravolta no baptismo

Augusto Panzo - 22 de Fevereiro, 2016

Aviadores estiveram a perder mas conseguiram terminar o jogo na condio de vencedor na estreia no Campeonato Nacional de 2016

Fotografia: Dombele Bernardo

O Atlético Sport Aviação (ASA) teve um baptismo vitorioso ontem, nO primeiro Girabola milionário, ao vencer no Estádio dos Coqueiros, a Académica do Lobito, por 3-1, num dos jogos referentes ao complemento da primeira jornada do campeonato.

Nelito, aos 38´, Guelor aos 59´e Minguito aos 64´, foram os carrascos da formação vinda da província de Benguela, ao passo que, o médio Ruben fez o tento de honra para a equipa forasteira quando eram decorridos 37 minutos.

A partida começou com algum peso de responsabilidade para os dois conjuntos, mas aos poucos foi tomando o rumo certo, com os jogadores de ambos os lados a desembaraçarem-se do nervosismo inicial.

Atingido este ritmo, a equipa da Académica passou a aparecer mais vezes na zona defensiva do ASA nessa fase do jogo, mas o conjunto aviador defendeu-se da melhor forma possível, evitando sofrer um golo madrugador.

Este demorou a surgir, mas contra todas as expectativas, acabou por acontecer a favor dos visitantes, quando aos 37´, Ruben inaugurou a placar com um golo de belo efeito, na sequência da cobrança de um livre directo a partir do meio campo aviador. Com o golo sofrido, os pupilos de Robertinho sacudiram o "capote molhado" e foram ao contra-ataque, que acabou por culminar no tento do empate, apontado aos 38´ pelo ponta-de-lança Nelito.

Conseguida igualdade, a equipa do aeroporto tornou-se mais ousada, mas não conseguiu evitar este resultado até ao apito que ditou o descanso.
De regresso, os dois técnicos mexeram nos respectivos xadrez, no intuito de dar maior intensidade ao jogo, mas foi o ASA que melhor proveito tirou disso, ao apontar mais dois golos, por intermédio de Guelor e de Minguito.

O trio de árbitros dirigido por Hélder Martins não teve influência no resultado final, apesar de ter mostrado por seis vezes o cartão amarelo (quatro para o ASA) e (dois para a Académica do Lobito), e um vermelho a Chonene, por acumulação. Bom trabalho.