Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Rivais encerram com diferentes sentimentos

Betumeleano Ferro - 05 de Novembro, 2017

Militares defrontam palanquinos no dia que vo erguer o trofu e vestir as faixas de campeo nacional

Fotografia: Vigas da Purificao | Edies Novembro

O 1º de Agosto abriu a champanhe da consagração com antecedência mas apenas hoje vai receber a taça e vestir as faixas de campeão, sendo um dos motivos por que decidiu realizar o dérbi com o Kabuscorp, sem custos para os adeptos.

O jogo é para cumprir calendário mas há obrigações a cumprir, a maior delas para o bicampeão é terminar invicto a segunda volta do campeonato. Foi o desempenho competitivo que fez o 1º de Agosto revalidar o Girabola Zap, é por isso que os militares vão tentar juntar o útil ao agradável, fechar o campeonato a pontuar contra os palanquinos.

Sem ser convidado para a festa, ao Kabuscorp do Palanca nem foi dada a oportunidade de ser penetra ou pato, mas também isso pouco importa aos palanquinos porque derrotar o campeão vale mais do que dançar e comer de borla. As últimas épocas têm revelado que os palanquinos são dos adversários mais indesejáveis para os militares, é essa a tendência que Romeu Filemon e pupilos vão se esforçar para manter.

O resultado do dérbi é uma questão de honra para os dois contendores, até certo ponto há mais pressão do lado do 1º de Agosto, porque ambiciona terminar invicto a segunda volta do campeonato, mas também há na mente dos militares o anseio de devolver a derrota da primeira volta.

Com ou sem boa forma desportiva, os palanquinos conseguem sempre desatar o nó contra os militares, um dado estatístico capaz de espicaçar os dois contendores. Os militares estão com os níveis de confiança bem reforçados com a conquista do campeonato e a presença na final da taça, mas mesmo assim têm de se pôr a pau contra a eficácia do Kabuscorp, o campeão tem de provar que aprendeu alguma coisa dos desaires anteriores.

Aliás, os palanquinos que nas últimas jornadas do campeonato se transformaram no "bombo da festa", perderam inclusive com o JGM do Huambo, formação que luta pela não despromoção, certamente, tudo vão fazer para que hoje à tarde, diante do bicampeão nacional, consigam lavar a honra.

Os palanquinos, campeão do Girabola 2013, medem forças com os militares, como se disse pela honra e cumprimento de calendário, pois, ainda que vença, não mais garante o pódio.


IVO TRAÇA
“Queremos fechar com chave de ouro”


O técnico-adjunto do 1º de Agosto, Ivo Traça, afirmou que ambicionam vencer o jogo desta tarde, no 11 de Novembro, diante do Kabuscorp do Palanca, para fechar com "chave de ouro" o presente campeonato e, deste modo, oferecer aos seus adeptos pelo apoio durante a competição.

"Agora só pensamos no jogo contra o Kabuscorp porque queremos fechar com chave de ouro o campeonato, ou seja, com uma vitória para oferecermos aos nossos adeptos e não só. Também queremos oferecer as nossas Forças Armadas que têm nos ajudado muito com aqueles militares, que estão todos os dias connosco e eles estão de parabéns porque esta vitória também é deles", disse Ivo Traça, no final do empate nulo diante do Progresso Sambizanga, na última quarta-feira, em desafio referente a segunda mão das meias-finais da Taça de Angola.

O antigo médio militar reforçou os objectivos da equipa neste desafio aproveitando o embalo de ter garantido o passe para a final da segunda maior competição futebolística nacional frente ao arqui-rival.

"Queremos terminar o campeonato com uma vitória para depois pensarmos na final da Taça de Angola com o Petro de Luanda", destacou.

O bicampeão nacional sobe ao relvado do maior estádio nacional muito motivado e vai procurar voltar a fazer sorrir os seus adeptos no encerramento do campeonato, com uma equipa capaz de vergar os palanquinos, um adversário igualmente difícil, mas que certamente não terá a mesma motivação para ganhar o desafio. Todavia, vencer o actual campeão é sempre um tónico adicional para qualquer adversário.

O técnico bósnio Dragan Jovic poderá fazer algumas mexidas em relação a equipa que defrontou o Progresso Sambizanga na última quarta-feira para a Taça de Angola. O médio nigeriano Ibukun saiu queixoso desse jogo e está em dúvida para a recepção aos palanquinos.
Na primeira volta o Kabuscorp do Palanca venceu por 2-0, com golos de Ebunga e Mongo.             JORGE NETO


ENTRADAS LIVRES
Bilhetes à disposição dos adeptos


Os bilhetes para o jogo entre as formações do 1º de Agosto e do Kabuscorp do Palanca estão à disposição do público em geral, de forma grátis, a partir de hoje, bastando que os adeptos levantem os ingressos em apenas dois locais, na bilheteira do estádio 11 de Novembro e da loja móvel localizada na sede clube militar, cujos portões serão abertos às 12h00.

De acordo com o site oficial do clube rubro-negro, o acesso à tribuna e aos camarotes serão feitos por via de convites, ao passo que as claques entrarão em portas diferentes. Os agostinos pela porta 10, lado Poente, enquanto os palaquinos pela porta 22 , Nascente. A imprensa terá acesso por via do credenciamento feito no início da época.

Face ao clima festivo do jogo a direcção do clube apela ao civismo e fair play de todos os interessados que se deslocarem ao estádio 11 de Novembro.

O comunicado diz ainda que o desafio reveste-se de um cariz especial pelo facto de "comemorarmos a recente conquista do 11º título nacional, no ano em que o nosso glorioso clube celebrou o 40º aniversário da sua fundação", concluiu o documento.                                    JN