Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Rivais postos prova

Betumeleano Ferro - 01 de Abril, 2019

Campeo defronta amanh s 17h00 os libolenses no estdio 11 de Novembro

Fotografia: Vigas da Purificao | Edies Novembro

Os eternos candidatos ao título estão a uma jornada do clássico, se a moda persistir pode haver preto no branco já na próxima ronda. Enquanto o aparente dia das decisões finais não chega, 1º de Agosto e Petro de Luanda vão tentar fazer pela vida para se desembaraçar do Recreativo do Libolo e do FC Bravos do Maquis, dois tradicionais adversários difíceis, para saíram vivos na 22ª jornada a fim de tentarem jogar todas as fichas no tão ansiado jogo dos jogos.

Se por estratégia ou não, o comunicado da FAF diz que por questão logística e técnica, o 1º de Agosto é o primeiro a entrar em cena, amanhã às 17h00, o campeão vai ao 11 de Novembro tentar cumprir com o ritual que estabeleceu nas últimas temporadas, não perder com o Libolo. A bem da verdade, desde a segunda volta do campeonato de 2015 que os militares nunca mais saíram cabisbaixos contra os libolenses, quando não vencem, empatam.

Anos atrás, esse jogo seria um dos cartazes da jornada, os tempos agora são outros porque o Libolo vive na recordação do doce passado, ainda assim, os militares estão apercebidos de que vão ter de pagar um preço alto demais para somar os 3 pontos contra os libolenses. O claro ascendente do campeão tem muito a ver com a ditadura que há 3 anos consecutivos impõe no futebol nacional, fica claro que o foco está todo no 1º de Agosto porque tem tudo e mais alguma coisa para chegar, ver e vencer, não importa quanto suor e lágrimas tenha de derramar.

A aparente jogada de antecipação do 1º de Agosto, sexta-feira fez o dérbi com o Progresso, amanhã tem o difícil teste com o Libolo, deixa ler nas entrelinhas que os militares miram alguma coisa óbvia, chegar mais frescos no clássico. Isso significa que o 1º de Agosto vai tentar ser rápido e muito letal para deixar o Libolo sem qualquer poder de reacção, quanto mais apressado correr para a vitória, menos chance o adversário vai ter de esboçar uma tentativa para empatar.

O Libolo cresceu muito nas últimas jornadas, a vitória caseira na última jornada, somado ao deslize do Sagrada e os pontos perdidos na secretária pelo Kabuscorp colocaram os libolenses no quarto posto. 

A época é de bonança para a equipa de Calulo, todo este crescimento vai originar a moralização necessária para tentar recuperar o hábito de ganhar em Luanda, o título é para uma outra temporada, porém, há a questão de honra de acabar com a invencibilidade do 1º de Agosto.