Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Roberto Bianchi supera Grasselli

Paulo Caculo - 08 de Março, 2016

Treinador hispano -brasileiro supera nmeros alcanados na poca anterior entrada da quarta jornada

Fotografia: M.Machangongo

O percurso do Petro de Luanda  no Girabola Zap 2016 à entrada da quarta jornada da competição pode ser considerado animador, relativamente ao campeonato do ano passado, a julgar pela subida de quatro lugares na tabela de classificação.O conjunto às ordens de Beto Bianchi, em três jogos disputados mostra números que traduzem uma clara subida de rendimento,  se comparado aos espelhados pela equipa no Girabola de 2015 em que a esta altura ocupava a décima posição com quatro pontos, fruto de uma vitória, um empate e igual número de derrota.

Hoje, com seis pontos (mais dois que na época passada) na sétima posição, os tricolores mostram maior capacidade de produção. Apesar de em termos de golos marcados a equipa petrolífera tivesse igualado o "patamar" à terceira jornada, os pupilos do treinador hispano -brasileiro têm menos (um golo) em relação à época transacta.Em termos de exibição pode atribuir-se à actual equipa do Petro de Luanda melhores argumentos em relação ao ano passado, embora o futebol da equipa esteja muito longe da qualidade, da arte e engenho que habituou os seus adeptos. Ou seja, os tricolores ao cabo de três jogos produzem exibições pouco atractivas.

Se por um lado, a equipa no meio - campo deixa passar a imagem da presença necessária de um "playmaker" que jogue e ponha a equipa a jogar,  sobretudo que seja capaz de municiar o ataque, por outro, no ataque também se reclame o surgimento de um "homem - golo" que seja  finalizador por excelência, que decida os jogos e contribua para ajudar a equipa a "tirar a barriga da miséria".

Em dois jogos, o Petro marcou dois golos, um fraco pecúlio. Em relação à defesa, Beto Bianchi pode procurar  também o melhor quarteto defensivo. Desde o jogo com a equipa do 4 de Abril que surgem alterações, neste último embate foi a entrada de Elio para o eixo defensivo e a saída do camaronês Etah. O médio - trinco Wilson aparece nos últimos tempos a fazer de central, facto que contrasta com a posição desempenhada na época passada.Seja como for, a verdade é que o Petro de Luanda à maneira de Beto Bianchi dá sinais que permitem sonhar muito mais.

PREPARAÇÃO
Petro tem sessão única no feriado


Uma sessão única de treinos agendada para às 9h00 marca o regresso do plantel do Petro Atlético de Luanda ao trabalho, em dia de feriado internacional, com vista à preparação para a próxima jornada do Campeonato Nacional. Ontem, o técnico Beto Bianchi concedeu folga ao grupo de trabalho, após o triunfo diante do Progresso da Lunda Sul.

Tal como acontece com toda a preparação no período pós/jogo, a equipa técnica dos tricolores pode promover exercícios de recuperação física dos jogadores. Trabalhos de gestão de esforço, combinados com alongamentos e corridas devem dominar o treino matinal, no campo relvado nº1 do Complexo Demósthenes de Almeida.

A recuperação do médio Francis deve estar na ordem do dia. O jogador recupera de uma lesão no pé esquerdo e está afastado dos convocados de Beto Bianchi desde o embate com a Académica do Lobito, em Benguela.Os tricolores jogam no sábado no Estádio Mártires da Kanhala, na província do Huambo, com o Recreativo da Caála para  a quarta jornada do campeonato nacional.  Integram o plantel do Petro, os seguintes atletas: Gerson, Lamá e  Mig (guarda - redes), Etah, Ari, Mabiná, Chara, Manguxi, Job, Balacai, Jirresse, Wilson, Miguel, Duarte, Mira, Maludi, Francis, Mateus, Carlinhos, Diógenes, Fabrício, Mavambu e Abdul.