Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Rui Arajo garante firmeza do 1 de Maio no campeonato

Jlio Gaiano, em Benguela - 24 de Agosto, 2019

Fotografia: Benjamim Candido, Edies Novembro

O presidente do Estrela Clube 1º de Maio de Benguela, Rui Eduardo de Araújo, considerou inadmissível a forma como algumas pessoas agiram, em face da inviabilização do jogo contra a Académica do Lobito, a contar para a primeira jornada do Girabola Zap2019/2020. Garante que continua firme e jamais se deixará abalar, por questões tendentes a desprestigiar o trabalho, que a sua direcção desenvolve em prol do futebol na província e no país.
“Foi uma atitude reprovável ver gente, que julgava séria, a comportar-se de forma ingénua. O 1º de Maio de Benguela precisa de apoios de todos, não só nos momentos de glória, muito mais nesta fase em que se encontra. As pessoas que nos criticaram, fizeram-no com o propósito único de nos desacreditarem e manchar toda a reputação, que construímos com muito esforço e sacrifício em prol do clube, ao longo das últimas quatro décadas dedicadas ao futebol”, insurgiu-se.
O dirigente proletário reforçou a ideia de que, em quanto tiver vida e com força para trabalhar, jamais deixaria o seu clube definhar-se por incumprimento das suas obrigações contratuais.
“Sempre disse e repito, o 1º de Maio é uma instituição séria, responsável e que deve merecer atenção devida de todos os benguelenses, são eles governantes, empresários e cidadãos comuns. Deixa-lo a ‘deus dará’ é como que atentar com parte da cultura e tradição desta província que se chama Benguela. Aliás, foi com base neste sentimento que seguimos a Luanda e com a entidades afins da FAF (aproveito o momento para tecer os meus parabéns a todos eles pela forma magnânima como nos receberam e abordaram o assunto), juntamos o nosso saber e conseguimos dar solução ao problema que gravitou na inviabilização do jogo da jornada inaugural”, comentou.
Segundo ainda o presidente dos proletários, “agora que ficou provado a nossa competência e capacidade, na resolução do problema das dívidas com a FAF e outras figuras afectas ao clube, peço aos nossos detractores que nos deixem trabalhar em paz e, acreditem, que os próximos desafios cingir-se-ão única e simplesmente na luta pela dignificação do futebol na competição”.
Ultrapassada que está, parte das dívidas de que o presidente do 1º de Maio de Benguela fez questão de referenciar, fica assim facilitada a deslocação da equipa à vila da Caála, para o confronto com o Recreativo local. O jogo acontece hoje, a partir das 15h00, no estádio Mártir da Kanhala.
                                 JÚLIO GAIANO, EM BENGUELA