Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Sagrada -Desportivo aguarda remarcao

Antnio Flix - 10 de Julho, 2016

O Sagrada Esperana da Lunda Norte, espera que a Federao Angolana de Futebol, remarque para hoje ou no mnimo na tera-feira,

Fotografia: Jornal dos Desportos

 O jogo que devia disputar ontem, no Dundo, com o Desportivo da Huíla, a contar para a 16ª jornada do Girabola Zap, adiado devido à dificuldade de deslocação da formação huilana para a cidade diamantífera.

Vitória por falta de comparência do Desportivo da Huíla, que por dificuldades de transporte não viajou, era a pretensão inicial do Sagrada Esperança, que rejeitou a remarcação do jogo para quarta-feira.

Antes do jogo, isto é, a meio da manhã de ontem, a direcção do Desportivo comunicou que deparava com o referido entrave, mas o clube diamantífero não acedeu que o  desafio fosse disputado na quarta-feira.

"Por indisponibilidade de voos, por parte da instituição que apoia o Desportivo da Huíla nas suas deslocações, não é possível fazer viajar o plantel sénior de futebol para a cidade do Dundo, província da Lunda Norte, a fim de realizar o jogo referente a 16ª Jornada do Girabola Zap", sublinhava a comunicado.

"A alternativa, por via terrestre, e se nos atermos à distância entre a cidade do Lubango e Dundo, parece-nos ser desgastante para os atletas,  em fórum próprio, foram devidamente informadas as instituições, tais como a Federação Angolana de Futebol (FAF), Associação Provincial de Futebol (APF) Huíla e o Clube Sagrada Esperança", acrescentava a nota.                             


VITÓRIA

Campeão sempre atrás do D´Agosto


O Recreativo do Libolo precisou ontem, em casa, de 87+1 minutos de jogo, para o brasileiro Luís Filipe marcar  na baliza do 1º de Maio de Benguela, os dois golos da vitória na 16ª º jornada,  desta forma, voltou a monstrar que está no encalço do 1º de Agosto, porque quer revalidar o título.

Digamos que o campeão no Estádio de Calulo, diante do seu público, despachou como  competia o  1º de Maio de Benguela, dá desta forma corpo à promessa de vitória, augurada na véspera, por toda a equipa , e em particular pelo técnico adjunto, Pedro Caravela que em nome do técnico principal, Paulo Costa, chegou a dizer que  o grupo ia entrar em campo no máximo da sua força e determinação, com vista a conquista dos três pontos.

Esta determinação não foi eficaz na primeira parte do desafio, porque o 1º de Maio ofuscou a grandeza do campeão, que precisou do intervalo para rever a estratégia.

O brasileiro Luís Filipe, na segunda parte do desafio, foi chamado a render Diwarra e cumpriu a missão. Aos 42 minutos entrou na área, a aproveitar um lance errado de defesa proletário, colocou o pé na bola, empurrou-a sem possibilidades do guarda-redes Leo defender, fez assim o 1-0.E não tardou, quatro minutos depois, o mesmo Luís Filipe inspirado como já estava, recebeu um passe do colega Caia, a partir do meio campo, rematou para o 2-0, que fez o campeão cantar vitória.

O 1º de Maio só  pode queixar-se de si mesmo, na primeira parte logrou evitar o jogo em profundidade do Libolo, que tentou desbaratar com os pontas as linhas defensivas  dos proletários, no segundo tempo, não resistiu já tinha deixado de defender com "unhas e dentes", como se diz.

Quer dizer, do lado do  1º de Maio de Benguela, ficou a ideia de que embora tenha dado alguma réplica ao campeão, muitos automatismos ainda têm de ser consolidados, no sentido de visionar o caminho de muitas vitórias e escapar à mais uma descida de divisão.

Entre todos os sectores, falta ainda a tal coesão que o técnico Hélder Teixeira prometeu incutir desde o dia em que foi chamado, para  estar à frente dos proletários.

Hélder Teixeira disse, que ia manter alguns jogadores, de forma a encontrar soluções para corrigir os erros anteriores, mas a verdade é que ontem, fizeram pouco para retirar a equipa do 14º lugar, onde terminou a primeira volta que fechou com um empate (0-0) diante do Caála.