Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Sagrada quer vencer Acadmica do Dundo

Betumeleano Ferro - 18 de Março, 2019

Sagrada Esperana defronta na quarta-feira a Acadmica do Lobito depois da derrota diante do Libolo

Fotografia: Jos Soares | Edies Novembro

A esperança sagrada é capaz de motivar os adeptos locais a afluir em massa na quarta-feira, 20, ao estádio do Dundo para ver a equipa às ordens de Agostinho Tramagal a corrigir com vitória o último desaire caseiro. Até certo ponto, os diamantíferos deixaram os seus apoiantes com motivos de queixa ao perderem com o intermitente Libolo, agora diante da Académica do Lobito há a boa chance de compensar a espera dos aficcionados com 3 pontos no jogo a contar para a 18ª jornada do Girabola Zap 2018/2019.
Os jogos caseiros nem sempre têm resultado em pura alegria para o Sagrada Esperança e seus adeptos, mas como a mudança depende mais dos atletas do que dos espectadores que ficam sentados nas bancadas, fica claro que o corpo técnico e o plantel estão revoltados e desejosos de acabar com a desculpas. Mais do que justificar por que desperdiçou, há também a vontade dos diamantíferos de provar que eles podem igualmente aproveitar para facturar, como fazem os seus adversários.
Sem muito por onde escolher depois de ver nas bolas paradas a justificação para a derrota com o Recreativo do Libolo, o Sagrada sabe que tem de reagir com competência, sim, tem de provar que aprendeu alguma coisa. Os técnicos gostam de dizer que não há dois jogos iguais, mas isso só se torna verídico quando o resultado é diferente, escorregar duas vezes seguidas no mesmo estádio é capaz de convencer os adeptos de que o defeito está com a equipa.A Académica do Lobito está apercebida da intermitência caseira dos diamantíferos, é isso que é capaz de aumentar a ambição estudantil de querer tirar bom proveito da situação, que é bem real, para tentar fazer no mínimo os serviços mínimos, empate, sem descartar o prémio maior, vitória.
 Os dois cenários podem tornar-se realidade para os estudantes, tudo vai depender da maneira como vão abordar o jogo, se forem como o estudante mandrião, que não se esforça por isso não se sabe qual vai ser a sua sorte final, são escassas as hipóteses de pontuar extramuros.Os estudantes estão com a mesma alternância de resultados que exibiram na primeira volta, uma rápida olhadas nas estatísticas da primeira volta indica de maneira clara que a Académica está na mesma cadência, uma equipa com dificuldade de engatar.
 As vitórias trazem sempre motivação extra e aumentam a confiança de quem as obtém, é por isso legitimo acreditar que a Académica do Lobito está atrás da fórmula para acelerar o passo no campeonato, fica claro que um triunfo extramuros pode muito bem parte da solução ansiada.Quer o Sagrada Esperança, quer a Académica do Lobito, pretendem provar que os maus resultados não são a sua sina. As más acções estão a condenar os dois contendores, mas eis que surgiu a grande chance de inverterem o curso dos acontecimentos, nem mesmo o facto irrefutável de haver apenas um vencedor pode servir de desculpa para diamantíferos e estudantes não tentarem amealhar os 3 pontos.
O jogo está longe de ser decisório para as duas equipas, nem mesmo o atraso pontual dos estudantes dá motivos para apertar no alarme, ainda assim, há todos os motivos para acreditar que a ansiedade é alta nos dois balneários.
 A maneira como os contendores vão conseguir lidar com isso pode significar êxito ou fracasso, realmente a necessidade de corrigir os maus resultados existe, mas ter pressa de ir ao pote pode estorvar o que até aparentar ser coisa fácil.A atitude competitiva dos diamantíferos e estudantes é capaz de ser condicionada pelos \"pecados\" que têm cometido, mas o que vai contar no final é a maneira como cada um deles vai reagir diante das adversidades, as coisas até podem não estar a sair tão bem como planejado, mas é verídico que até ao lavar dos cestos é vindima.


LUNDAS DE OLHO NOS ESTUDANTES 
Diamantíferos com esperança renovada 
 
Digerida a derrota caseira do passado sábado, diante do Recreativo do Libolo, o Sagrada Esperança regressa hoje ao trabalho, a partir das 9h00, no seu campo de treinos e jogos oficiais, na cidade do Dundo, com o pensamento virado no jogo de quarta-feira , 20, ante a Académica do Lobito, para acerto da 18ª oitava jornada do Girabola Zap 2018/2019. 
O treinador Agostinho Tramagal agendou uma sessão de treinos em que os primeiros minutos serão reservados uma breve palestra dirigida pela equipa técnica aos jogadores, seguindo-se o trabalho de recuperação física no relvado. 
Para o jogo com os estudantes do Lobito, os diamantíferos auguram uma melhor postura, pois  uma vitória possibilitará a equipa ganhar terreno a nível da classificação, uma vez que somará  31 pontos. 
Depois do amargo caseiro de sábado último, o técnico Agostinho Tramagal, certamente, já terá detectado as falhas da sua equipa, com vista a montar a estratégia que lhe permite escalonar um conjunto forte e ambicioso para encarar o desafio de quarta-feira.
Desolado com o surpreendente desaire no seu reduto, o técnico Agostinho Tramagal procura a fórmula para elevar os níveis de motivação e confiança dos seus jogadores. 
Os diamantíferos, apesar de terem perdido para os libolenses, tiveram o domínio do jogo, porém a maior posse de bola e as excelentes transições ofensivas não chegaram para manter a equipa na senda dos triunfos nessa fase do campeonato. Por isso, Agostinho Tramagal vai nos dois dias de trabalho dar atenção especial à finalização, onde os seus avançados têm se revelado bastante perdulários. 
O treinador Agostinho Tramagal, numa clara demonstração de humildade e sentido de "fair play", reconheceu no final do jogo com o Recreativo do Libolo que o Sagrada Esperança dominou o jogo mas a turma de Calulo foi um justo vencedor , pois conseguiu tirar proveito das falhas defensivas dos donos da casa. 
Com isso, promete tudo fazer nos dois dias de trabalho (hoje e amanhã) antes do jogo com os estudantes, para ter os automatismos em dia no sentido de melhorar a postura da equipa diante da Académica do Lobito. 
Aliás, no final do jogo com o Recreativo do Libolo, Agostinho Tramagal, cuja equipa vinha de duas vitórias seguidas extramuro (Santa Rita de Cássia e Progresso Sambizanga), revelou que acredita na inteligência e capacidade de interpretação dos seus pupilos para responder favoravelmente às acções a planificar para o jogo frente a Académica do Lobito.
                            ARMANDO SAPALO, NO DUNDO 

DERROTA DIANTE DO LIBOLO
Tragamal lamenta fraca pontaria

O treinador do Sagrada Esperança da Lunda-Norte, Agostinho Tramagal, justificou sábado, no Dundo, que os erros defensivos e a fraca capacidade de finalização dos atacantes da sua equipa, ditaram a derrota caseira (2-1) frente ao Recreativo do Libolo. 
Agostinho Tramagal, bastante desolado, afirmou que a sua equipa tudo fez para vencer o jogo, mas reconheceu igualmente que o adversário foi competente, bastante inteligente e soube aproveitar as falhas defensivas, resultante de bolas paradas, que resultaram nos dois golos.
"Procuramos fazer tudo para vencer o jogo, mas não conseguimos, porque o adversário foi competente e inteligente, assim como conseguiu aproveitar as nossas falhas defensivas e, em lances de bolas paradas, marcaram os  dois golos", disse.  
O técnico do Sagrada disse que o Sagrada Esperança dominou o jogo, tanto na posse de bola , como nas transições ofensivas, mas a sua equipa "continua a pecar na finalização".
Os  dois tentos que permitiram com muito sacrifício a equipa às ordens de André Makanga "garimpar" três preciosos  pontos no Dundo, foram apontados por Filhão e Sidney, aos 10 e 31 minutos, ao passo que Ben Traoré, que saltou do banco, marcou de penálti para os lundas aos 79 minutos. 
Questionado por que razão coloco em jogo os avançados Ben Traoré  e Guedes apenas na segunda parte, o técnico desvalorizou o facto, esclarecendo que apostou em Jiresse e Francis, que tinham o apoio de Femi e Cachi no meio-campo, pois para ele, não se deve abdicar de jogadores com capacidade de fazer circular a bola. 
Tramagal desdramatizou igualmente o facto de perder pontos em casa e explicou que" o problema está na estrutura da equipa sobre como deve jogar".