Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Sambilas humilham confrade

Avelino Umba - 11 de Março, 2017

Os sambilas fizeram aquilo que lhes competia e os golos foram surgindo com maior naturalidade.

Fotografia: Santos Pedro

O culpado de toda esta humilhação foi o técnico Kito Ribeiro que não teve contemplações diante da sua antiga equipa e que de certeza ainda não se desfez do seu ADN, e como consequência armou a estratégia que melhor se impunha para travar os seus pupilos.

Os golos apontados por Vã aos 22 e Yano as 36 confirmaram apenas aquilo que aconteceu em campo, onde se assistiu uma equipa determinada ante  a um opositor que parecia cumprir mera formalidade em campo, face a falta de garra e um certo inconformismo.

Se os primeiros quarenta e cinco minutos foram disputados a seu bel prazer, a etapa complementar foi apenas a confirmação daquilo que aconteceu nos primeiros quarenta e cinco minutos. Os sambilas fizeram aquilo que lhes competia e os golos foram surgindo com maior naturalidade. 

Foi um autêntico festival, no Estádio dos Coqueiros, que deixou a equipa orientada por Paulo Figueiredo sem soluções para contrapor a euforia e o pendor atacante dos donos da casa e nem conseguiam no mínimo incomodar o guarda-redes camaronês.

Não foi surpresa para ninguém, apesar de alguma atitude demonstrada pelos visitantes, mas que não passou apenas de intenção, pois, a equipa denotava incapacidade de fazer aquilo que era o seu objectivo e evitar que os golos de Serge aos 72\' e Norberto ao 87 amplia-se o resultado para 4-0.
O trio de arbitragem não teve qualquer tipo de influência no jogo, embora o presidente do Progresso da Lunda tivesse criado um mau clima, alegando que o golo de Yano aconteceu numa posição irregular.