Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Sambilas mostram progresso

Betumelano Ferr?o - 27 de Fevereiro, 2017

Sambilas suplantaram libolenses com tento marcado por Fofó na melhor jogada do desafio

Fotografia: Vigas da Purificação

A grande jogada que deu o único golo, Fofó aos 44´, com que o Progresso Sambizanga venceu ontem ao Recreativo do Libolo acabou por valer o encontro entre sambilas e libolenses. Os dois contendores passaram ao largo do desafio, quem se deslocou aos Coqueiros saiu defraudado com a qualidade do espectáculo protagonizado pelas duas equipas.

Nenhuma das equipas demonstrou verdadeira fome de vitória, mas antes do intervalo os sambilas tiraram um coelho da cartola na melhor jogada de todo o jogo. Na única vez em que os sectores estiveram realmente interligados, houve Progresso em campo com Nyame, Dieu e Lunguinha a cozinharem bem para Fofó fuzilar de primeira.

Quem pensou que o jogo precisava de um golo para aquecer desesperou na segunda parte, uma vez mais as duas equipas entraram sem muita força competitiva, correram muito é verdade, mas foram incapazes de produzir boas coisas, tanto é assim que na etapa complementar sambilas e libolenses passaram claramente ao largo do golo.

O Progresso teve o mérito de marcar um golo mas se arriscasse um pouco mais, sobretudo na primeira parte, talvez conseguiria alcançar um resultado mais satisfatório. Se por orientação ou intuição dos próprios atletas, mas os sambilas nas poucas vezes em que pressionaram na zona de construção do adversário conseguiram recuperar bolas, uma delas só não deu golo aos 4´, porque ninguém teve coragem de assumir a jogada, Yano ainda tentou ser o protagonista mas falhou o alvo.

Sem arriscar muito, o Progresso às vezes ficou à espera que o Libolo se esticasse em campo, mas como o Libolo teve receio de correr riscos na etapa inicial, os sambilas ganharam muita confiança com o avanço no marcador.

Nem sempre o Progresso tentou ampliar a vantagem, os sambilas pareciam mais interessados em segurar bem o magro resultado, e, quando não tiveram pernas para acompanhar o passo dos libolenses recorreram ao anti-jogo, queima de tempo, uma táctica que acabou por ser bem sucedida.

O Libolo perdeu porque não marcou, esta foi a grande diferença entre as duas equipas, os libolenses jogaram muito pouco, tal como os sambilas, mas nunca conseguiram ser um mandão em campo. Na única ocasião em que os libolenses espreitaram o golo, valeu mais o poder de inspiração do avançado Fabrício, ele viu o guarda-redes Nyame adiantado e tentou um remate surpresa que não passou muito distante.

“Resultado serviu”
Diogo Pedro - Progresso
“Perdemos o primeiro jogo, empatámos o segundo e felizmente hoje (ontem) conseguimos conquistar a vitória. O Libolo também dificultou a nossa tarefa, por isso temos que dar os parabéns aos atletas pela forma como se bateram ao longo do jogo e continuar a trabalhar. Tínhamos a situação controlada em termos de estratégia e que serviu para garantir a vitória. Poderíamos ter feito mais, mas o resultado (1 a 0) serviu para garantir os três pontos”.


“Entrámos mal no jogo”
Vaz Pinto - Libolo
\"Não tivemos uma boa primeira parte, entrámos mal no jogo. Na primeira parte o Progresso foi superior a nós, mas na segunda fomos melhor. Infelizmente o jogo foi marcado por um erro de arbitragem, essa é a minha percepção a partir da bancada. Também por aquilo que me fazem chegar, algumas pessoas que viram o jogo pela televisão dizem a mesma coisa, porque o jogador que acabou por fazer o golo, antes deveria ser expulso, fiquei com essa ideia \".

ARBITRAGEM
Apito medíocre- A fraca exibição do Progresso e Libolo parece ter contagiado o árbitro Nuno Eduardo Sumbo e o primeiro assistente Adão da Silva. Os dois juízes deram muitos motivos de queixa para os contendores porque não tomaram boas decisões em lances que acabaram por influenciar o curso do jogo. Por exemplo, aos 33´, Fofó agrediu Ito com uma bofetada, a agressão aconteceu no campo visual de Nuno Eduardo Sumbo e Adão da Silva, mas os dois tinham os olhos na bola, é por isso que o agressor e o agredido foram agraciados com o amarelo. O árbitro Nuno Eduardo Sumbo guardou o cartão em outras ocasiões, mas acabou também por ficar mal na fotografia na deficiente compensação que deu em todo o jogo, não se aceita que de uma só vez o jogo pare 3 minutos e no final o árbitro só dá 2 minutos de compensação.

MELHOR EM CAMPO
Destemido René
- Os médios do Libolo não foram muito buliçosos, mas o lateral esquerdo René acabou por ser um dos destaques da vitória sambila. O esquerdino esteve muito sereno durante toda a contenda e teve abordagens interessantes, quer a defender, quer a atacar. Ao contrário dos demais colegas, evitou sempre recorrer ao anti-jogo para pôr em sentido os libolenses, era tanta a sua vontade de jogar que aceitou correr o risco necessário para ter a bola nos pés. Quando o Libolo tentou chegar ao empate, a asa esquerda da defesa sambila foi muito pressionada, mas René soube ser competitivo, às vezes até abusou da sorte ao sair a driblar perto da sua área sem que os adversários fossem capazes de desarmá-lo, numa clara demonstração de que estava cheio de confiança naquilo que fazia.