Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Sambilas sorriem no drbi

Jorge Neto - 08 de Maio, 2016

A equipa do Progresso do Sambizanga foi mais feliz no drbi luandense e conseguiu vitria por 1-0, com golo de Vie d

Fotografia: Dombele Bernardo

A equipa do Progresso do Sambizanga foi mais feliz no dérbi luandense e conseguiu à vitória por 1-0, com golo de Viet, num jogo bem disputado entre os dois conjuntos que nunca viraram a cara a luta.O primeiro sinal de perigo da partida pertenceu aos sambilas, o remate de Luís Tati, aos 2´, apanhou de surpresa o guarda-redes Maguette, viu a bola a embater no travessão. A resposta aviadora surgiu aos 10´ com a cabeça de David a passar rente ao travessão defendido por Nyame.

As duas equipas davam mostrar de quererem marcar o mais rápido possível, não se preocupando em fazer o habitual estudo mútuo, e com uma necessidade muito grande de conquistar os três pontos em disputa.

O desafio decorria de forma atractiva, com os médios a trabalharem bastante em busca dos seus companheiros mais adiantados, mas depois a intensidade no jogo baixou e os jogadores perdiam muitas bolas na construção das jogadas.

Porém, aos 38´os sambilas estiveram próximos de marcar numa jogada em que Yano chutou dentro da grande área, mas Maguette negou o golo e na recarga Luís Tati tentou a sua sorte, mas o guarda-redes aviador saiu aos pés do avançado que pediu falta, sem efeito.

O intervalo se aproximava e Yano aos 44´, na cobrança de um livre directo rematou rente ao poste esquerdo de Maguette, situação que veio a repetir-se um minuto depois, mas numa jogada de ataque continuado.

No segundo tempo, o técnico Albano César foi o primeiro a mexer no xadrez da sua equipa ao tirar Eliseu e lançar Viet, procurando refrescar a sua zona intermédia e dar mais consistência as jogadas ofensivas.

A alteração resultou num golo de Viet aos 53´, num remate rasteiro fora da grande área, batendo pela primeira vez Maguette.

Com isso, a partida ganhou mais emoção e os aviadores fizeram duas mexidas quase de uma só sentada, com a intenção de correr atrás do prejuízo, numa altura que o quadro lhe era desfavorável. Os aviadores pressionaram o último reduto dos sambilas, que mostraram numa defesasegura com os centrais Ndieu e Totó.

Nesta altura os pupilos de Albano César procuravam sacudir a pressão com um jogo mais de contenção quando recuperavam a bola e por vezes com jogadas rápidas, tentando dar a machadada final no resultado que não mais se alterou até ao apito a final.


ARBITRAGEM
“Apito seguro”


O trabalho do árbitro Inácio Rangel esteve a altura do dérbi, sem ter influência no resultado. Os jogadores pautaram-se por uma boa conduta disciplinar e ajudaram para que o desempenho do juiz huilano fosse a “bom porto”. Em função do fair play demonstrado pelos atletas Inácio Rangel recorreu poucas vezes a admoestação de cartões amarelos.O homem do apito acompanhou de perto as jogadas e não enveredou por decisões polémicas, tendo o desafio decorrido sem muitas paragens. Foi bem auxiliado nas situações de fora-de-jogo pelos seus assistentes Elias Kotel e António Livongue. Foi bem mostrado o cartão amarelo ao guarda-redes Nyame por queima de tempo nos minutos finais do desafio.


MELHOR EM CAMPO
“A eficácia de Viet”


Pela eficácia que teve ao marcar logo no primeiro remate que fez a baliza adversária o médio ofensivo do Progresso do Sambizanga, destacou-se pela positiva, ditando o resultado a favor da sua equipa diante do conjunto aviador.

Viet saiu do banco no segundo tempo e resolveu o dérbi através de um remate rasteiro e seco, fazendo com que a bola passasse por baixo do corpo do guarda-redes Maguette, que ainda tentou evitar o pior. O camisola 23 foi fundamental na conquista dos três pontos dos sambilas.